Saiba como o consumo de Ômega 3 DHA durante a gestação pode prevenir  futuras alergias nos bebês

A ingestão do Ômega 3  DHA pela gestante pode diminuir a sensibilidade do bebê aos alérgenos alimentares comuns. Nos casos de dermatites atópicas, o ácido graxo pode reduzir a prevalência e gravidade no primeiro ano de vida.

o nutracêutico Proepa Gesta, produzido pela Aché Laboratórios, é um suplemento que contém Ômega 3 com alta concentração de DHA.

O Proepa Gesta, produzido pela Aché Laboratórios, é um suplemento que contém Ômega 3 com alta concentração de DHA.

A nutrição materna durante a gravidez pode desenvolver efeitos importantes na prevenção do desenvolvimento de doenças alérgicas nos bebês. De acordo com a obstetra e professora Roseli Nomura, da Escola Paulista de Medicina – UNIFESP e da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo, o consumo de Ômega 3 DHA durante a gestação aumenta a oferta de substâncias mediadoras lipídicas exercendo papel importante na resposta alérgica futura do bebê. “Esses mediadores lipídicos bloqueiam a atividade de substância pró-inflamatória. Além disso, o consumo de Ômega 3 DHA  pela gestante pode afetar a função das células imunes prevenindo quadros de alergias”, explica a médica.

Alguns estudos compararam gestantes suplementadas com Ômega 3 DHA na segunda metade da gravidez com um grupo controle de gestantes que não receberam o ácido graxo.  Os recém-nascidos das mães suplementadas apresentaram redução na produção de substâncias pró-inflamatórias. “Outros estudos demonstraram que os bebês de mães que receberam Ômega 3 DHA na gestação apresentaram redução de eczemas associados a IgE e atopias no primeiro ano de vida.”

A médica destaca que o Ômega 3 DHA ajuda, principalmente, a reduzir a sensibilidade de alérgenos alimentares comuns como, por exemplo, o ovo, o leite e a soja. “O Ômega 3 DHA ainda pode reduzir a prevalência e a gravidade de dermatites atópicas no primeiro ano de vida que muitas vezes persiste até a adolescência, crises de febre do feno e de asma.”

O Ômega 3 DHA está presente em peixes de águas frias e profundas como salmão, cavala, arenque  e sardinha, além das sementes de linhaça, nozes e azeite de oliva. Os especialistas recomendam que o consumo de peixes ricos em Ômega 3 DHA para as gestantes deve ser de duas porções semanais. Quando o consumo é menor que essa quantidade é recomendada a suplementação. 

Proepa Gesta

A obstetra Roseli orienta que a suplementação materna iniciada apenas no período de lactação parece não exercer influencia significativa na prevenção de futuras alergias na criança. “Os estudos demonstram que, para obter resultados relevantes, é importante iniciar a suplementação ainda no período gestacional”. 

As gestantes que optarem pela suplementação podem escolher o nutracêutico Proepa Gesta, produzido pela Aché Laboratórios, é um suplemento que contém Ômega 3 com alta concentração de DHA. Cada cápsula contém 250mg de DHA concentrado. A recomendação é que a gestante tome de 1 a 2 cápsulas ao dia ou conforme a orientação do ginecologista obstetra responsável pelo seu pré-natal. Apesar dos benefícios o recomendável é que o médico seja sempre consultado. 

Desde 2007 a Comissão Europeia recomenda que a ingestão de Ômega 3 DHA seja de, no mínimo, 200 mg ao dia para gestantes e lactantes. Por isso, é tão importante suplementar durante a gestação e amamentação, já que o bebê recebe os nutrientes da mãe na barriga e através do leite materno. Outros benefícios da ingestão de Ômega 3 DHA estão relacionados ao desenvolvimento neurocognitivo, da retina e do sistema nervoso central, além da redução do risco de parto prematuro. 

Deixe um comentário

*