Cuidados com a pele durante o surf evitam problemas indesejados

O atrito do corpo com a prancha ou com pedras e corais presentes no mar podem gerar ferimentos na pele que precisam ser tratados corretamente.

O atrito do corpo com a prancha ou com pedras e corais presentes no mar podem gerar ferimentos na pele.

O surf é um esporte cada vez mais reconhecido e com muitos adeptos no Brasil, de diversas faixas etárias. Pegar onda traz muitos benefícios para o corpo. Por outro lado, exige alguns cuidados especiais para não prejudicar a pele, principalmente, no verão.

“Normalmente, quem surfa fica com o corpo exposto ao sol durante muitas horas. Além disso, há o contato da pele com a prancha e possíveis pedras, corais, etc. Por isso, a proteção solar e o uso de roupas com tecidos específicos são medidas essenciais para garantir a prática sem complicações”, explica a Dra. Anelisa Lamberti, dermatologista.

Apesar da proteção, o surfista pode sofrer algum ferimento durante a prática do esporte. Nesses casos, a dermatologista orienta as medidas que devem ser tomadas. “Ao perceber que alguma região está machucada, é necessário higienizar o local com água corrente e sabonete. Depois, para prevenir ou tratar possíveis infecções da pele causadas por bactérias após pequenos cortes, arranhões e queimaduras, pode-se usar uma pomada antibiótica e um antisséptico”.

Existe no mercado uma série de pomadas antibióticas e produtos antissépticos. Entre eles, a pomada Nebacetin e o antisséptico Neba-Sept, ambos fabricados pela farmacêutica Takeda, para cuidar de possíveis machucados e infecções na pele.

Vale lembrar que cobrir o local com curativo ou gaze limpa e esparadrapo poroso é recomendado somente nos casos em que os ferimentos estejam em locais sujeitos ao atrito, como cotovelos, joelhos, mãos e pés. A recomendação é deixar o ferimento aberto e seco para que a cicatrização aconteça de forma mais rápida.

Já nos casos de queimadura por exposição solar, o principal é hidratar a pele. “Tomar muito líquido e usar cremes hidratantes corporais é primordial. Para não irritar a região sensibilizada pelo sol, o banho deve ser morno com o uso de pouco sabonete. Porém, se a pessoa apresentar um quadro de febre ou mal estar, é necessário procurar ajuda médica, pois pode estar com insolação”, diz a Dra. Anelisa.

Aos amantes de tatuagem

Muitos surfistas têm tatuagens e eles devem estar muito atentos quanto à exposição. Antes de entrar no mar é preciso passar bastante protetor solar na área. “Sem essa proteção, podem ocorrer manchas indesejáveis e alergia no local. Após o surfe, tomar banho rápido e morno e passar um hidratante neutro ajuda também. Apenas para reforçar, aqueles que acabaram de fazer a tatuagem devem ficar pelo menos 30 dias sem contato com a água do mar, sol e areia”, completa a dermatologista.

Deixe um comentário

*