Vem aí o 4º Festival Bourbon Folk & Blues de Ilhabela!

Firmado como um dos principais festivais do litoral paulista, o Folk & Blues volta a Ilhabela com atrações nacionais e internacionais em shows grátis, no palco montado na Vila e espalhados pelas praias.

Fotos: Isa Barone | Leo Neves | Marcos Hermes | Nando Pires | Nelson de Souza| Thiago Cardeal | Valdimir Fernandes

A quarta edição do festival chega para estabelecer o evento na paradisíaca Ilhabela e fortalecer a cena Folk/Blues do país. Após o sucesso de suas três edições, o festival segue como uma vitrine para os artistas ascendentes da música folk e da nova geração do blues, sem deixar de lado os grandes nomes nacionais e internacionais desses dois gêneros musicais de origem norte-americana. A quarta edição do evento acontece entre os dias 29 de junho e 1º de julho.

Nesta quarta edição, serão mais de 20 shows gratuitos e ao ar livre, de 23 artistas, trazendo o melhor do blues e do folk. O festival mantêm o padrão e traz a Ilhabela quatro atrações internacionais, entre elas o vocalista da banda de Carlos Santana: Tony Lindsay interpretando clássicos do r&b, o cantor norte-americano J.J. Jacksons, que traz o blues em uma performance soul; o baterista Anthony King, que já tocou com grandes nomes da música mundial e Don Caruth, com sua super guitarra no melhor estilo “west-coast” blues, que se apresenta pela primeira vez no Brasil. Já o destaque dentre os brasileiros fica por conta de Zeca Baleiro, que já tem um pé no folk e agora traz sua faceta mais blueseira, dando nova roupagem para alguns de seus clássicos.

O festival destaca ainda os Buskers (músicos de rua), que estarão espalhados pela Ilha: o trio Folk it All e o multi-instrumentista Vasco Faé, ambos recebem a participação especialíssima da bela voz de Nathalie Alvim. Além, claro, do DJ Crizz nas pick-ups, abrindo e encerrando todas as noites.

Prepare-se para a 4ª edição do Bourbon Folk & Blues Ilhabela, um festival jovem, descontraido com suas novas tendências e shows especialmente montados e dirigidos para o evento.

PROGRAMAÇÃO - Palco Vila

29.06 - Sexta-feira

- 16h30. Atração Local

- 18h00. Duas Casas com Bezão e Nô Stopa + Tiê – Folk

- 19h30. Blues Etílicos plays Eric Clapton + J.J. Jackson – Blues

- 21h00. Tony Gordon + Don Caruth –R&B /Blues

30.07 - Sábado

- 16h30. Atração Local

- 18h00. Jonavo + Marcelo Jeneci– Folk

- 19h30. Tributo à B.B. King com Nuno Mindelis, Victor Biglione & Tuco Marcondes – Blues

- 21h00. Tony Lindsay – R&B

01.07 - Domingo

- 16h30. Atração Local

- 18h00. Rodrigo Suricato – Folk/Rock

- 19h30. Anthony King´s Band com Nathalie Alvim, Izzy Gordon e Tony Lindsay – Blues/R&B

- 21h00. Zeca Baleiro Folk & Blues – Folk Brasil

Buskers - Ao longo dos dias - Pelas ruas e praias

- Vasco Faé + Nathalie Alvim: Blues / Rock (ao longo do dia)

- Folk it All + Nathalie Alvim: Folk (ao longo do dia)

OS ARTISTAS

Duas Casas com Bezão e Nô Stopa + Tiê - Folk

Duas Casas com Bezão e Nô Stopa + Tiê. Amor pela música e os pés fincandos na simplicidade do universo folk.

Donos de trabalhos autorais, de produções independentes e atuantes na nova cena folk em São Paulo, os cantores e compositores Bezão e Nô Stopa lançam o projeto Duas Casas – encontro que potencializou as raízes e origens naturais de cada um, trazendo o melhor de seus universos particulares, formando aqui uma unidade enriquecida pela soma de dois.

Com afinidade sonora aprimorada ao longo de um ano, a criação do Duas Casas se deu naturalmente, num processo em que o fazer artístico não era um fim em si, mas um meio de exercitar o que os dois têm em comum: o amor pela música e os pés fincados na simplicidade do universo folk – herança musical atribuída às suas famílias. Inspirados na música folk dos anos 60 e 70, sob uma ótica contemporânea e brasileira, a dupla preparou um álbum com nove canções inéditas, a partir dos arranjos de violões e vozes, criados e interpretados por eles. O disco, com previsão de lançamento para o segundo semestre, contou com instrumentos tradicionais do country/folk como baixo acústico, bateria, rabeca, piano, banjo, weissenborn e pedalstill.

Produzido de maneira independente, o projeto contou ainda com grandes parceiros para sua realização, dentre eles, Alexandre Fontanetti na produção musical e Felipe Camara, como co-produtor. Renato Godá e Roberta Campos, também vieram somar ao projeto, compositores parceiros em duas canções; além de músicos de destaque, como Curumim, Fabio Sá, Thomas Rohrer, Adriano Grineberg e Adair Torres. Aqui, os encontros, todos potentes, aconteceram pelo e para o folk.

O saldo é um disco cuidadosamente simples e intuitivamente elaborado e é a base para o show que será apresentado no festival de Ilhabela. Site: http://www.duascasas.com.br

Blues Etílicos plays Eric Clapton + J.J. Jackson - Blues

Blues Etílicos é a marca mais forte do blues nacional e a banda há mais tempo em atividade nesse segmento. Desde meados dos anos 80, a banda vem produzindo uma extensa obra autoral, além de gravar homenagens às suas principais influências, tendo lançado dez CDs e um DVD.

O blues é a principal raiz da música popular norte-americana, tendo influenciado tanto o jazz quanto o surgimento do rock. Buscar a ponte entre a música brasileira e o blues é o diferencial do Blues Etílicos ao longo dos anos.

Se o blues hoje no Brasil é um mercado consolidado com inúmeros festivais no país, muito se deve ao trabalho contínuo e consistente da banda, que é a maior responsável pela criação e manutenção de uma verdadeira legião de fãs desse estilo musical.

Ainda assim, pode-se dizer que a música do Blues Etílicos não se limita a nenhum rótulo específico. A densidade do blues, a energia do rock e o balanço da música brasileira são os três elementos básicos que regem seu som. É música para ouvir, dançar e festejar.

A guitarra slide de Otávio Rocha e a gaita de Flávio Guimarães remetem diretamente ao blues, seja pontuando ou através de solos eletrizantes. O baixo de Cláudio Bedran e a bateria de Beto Werther garantem o groove sólido e suingado. O vocalista e guitarrista Greg Wilson comanda com segurança e estilo próprio.

O Blues Etílicos tem o dom de agradar os mais diversos públicos. Nesses 30 anos de estrada foram maturando essa que é a mais criativa e popular das bandas brasileiras nesse segmento.

Para o festival a banda escolheu homenagear Eric Clapton e dividie o palco com J.J.Jackson. Site:  https://www.bluesetilicos.com.br

J.J. Jackson

Compositor, intérprete, ator, comunicador, Leo Robinson, nascido no Arkansas, região conhecida como “Cinturão do Blues“, tornou-se J.J. Jackson no Brasil, país que adotou como novo lar e palco de sua carreira a partir de meados dos anos 80. Por suas origens e interpretações de clássicos do blues, Mr. Jackson, no Brasil, recebeu, da Imprensa e público, o titulo de bluesman. Mas a versatilidade de seu repertório, que passeia pelo jazz, blues,soul, ritm ‘ in blues e rock, vai muito além.

Na cena da mídia televisiva e eletrônica , teve várias canções, em trilhas de novelas , jingles para marcas conhecidas no grande mercado, e trilhas em filmes de curta metragem.

Como ator, participou de curta e longa metragem ( USA) . Realiza campanhas publicitárias para marcas consagradas, sendo a ultima para a Budweiser, que esta em veiculação desde 2016.

No mercado, tem 6 Cds e 2 DVDs. Os dois últimos lancados em 2016, “ J.J.Jackson &Prado Brothers”, um registro da parceria com Igor Prado . E “ So Long” - composto por CD e DVD. Neste JJ presta homenagem, interpretando 3 temas de compositores brasileiros consagrados.

No roteiro de shows , além do Brasil de norte a sul, Estados Unidos, Portugal , México, e Chile (turnê em 2017).

Hoje, considerando a carreira, consolidada no Brasil e, retribuindo o carinho que o publico brasileiro lhe proporciona, quer ser reconhecido como “JJJackson do Brasil ”. Site: www.jjjacksondobrasil.com

Tony Gordon + Don CaruthR&B /Blues

Tony Gordon. Super aclamado e com mais de 30 anos de carreira.

O ofício do 'crooner' é pouco vislumbrado quando se baliza a consolidação do que hoje consideramos 'música popular brasileira' Nesse contexto, o ‘crooner’ não somente abandonava definitivamente o “rótulo” direcionado a ‘intérpretes masculinos de standarts’, abrindo espaço às consideradas “cantoras da noite”, como também atuava conceitualmente na difusão da música estrangeira.

Sobrinho de Dolores, Tony Gordon não apenas enfatiza a importância da função do ‘crooner’ no embornal de nossa cultura, como reaviva e faz emergir a importância de seu pai, o cantor Dave Gordon, ‘crooner’ cuja importância ainda encontra-se elidida pela desmemória costumeira vigente em nosso país.

Com mais de 30 anos de carreira, aclamado em casas do Brasil e do mundo inteiro que enaltecem a música, Tony Gordon lança-se em uma desbravada aventura pelo Blues, Soul e Jazz ao reunir um repertório de músicas consagradas e rearranjá-las ao seu estilo característico.

Composições que ganharam o mundo nas vozes dos maiores cantores de diversos estilos, convergem para o timbre cativante de Tony Gordon em um show dedicado à releituras de tirar o fôlego. Um momento que o próprio artista batizou de “Soul Grandpa”. Um “avô” do Jazz, relendo estilos cativantes em um show com muito peso. Essa versatilidade é Tony Gordon. Site: http://www.tonygordon.com

Don Caruth

Guitarrista, cantor e compositor, o americano filho de músicos talentosos, mãe pianista e pai organista, começou a tocar violão aos 7 anos, sendo completamente autodidata. O ponto de virada profissional de Don foi conhecer e colaborar com Ken Colby, A.K.A. "KC" da “KC & the Sunshine Band”.

Don foi indicado, em mais de uma ocasião, como Melhor Guitarrista pela South Bay Blues Society. Cultivou um som original único e continua aperfeiçoando suas habilidades já magistrais. Especializado em funk “Old Style”, blues e ritmos distintos, ele impressiona o público e os colegas músicos com suas progressões de acordes sem esforço e incomparáveis.

Don trabalhou e tocou com nomes como: Lou Pride, Dennis Chambers, Buddy Miles, Terence Blanchard, Ronnie Baker Brooks, Chico Banks, Bernard Allison e outras, só para citar alguns.

As influências de Don começaram com seu pai, Don Caruth, Sr., um abençoado organista, e sua mãe Janice Watkins, uma talentosa pianista / cantora. Para mencionar alguns outros, como Jimi Hendrix, George Benson, Stevie Wonder, James Brown, Marvin Gaye, e Albert King. Confira, abaixo, três performances do artista no Youtube:

Jonavo + Marcelo Jeneci - Folk

Cantor e compositor campo-grandense Jonavo vem se destacando na cena cultural paulistana através de seu engajamento com a música folk no Brasil, e acaba de lançar seu segundo álbum solo, “Casulo”, em todas as plataformas digitais. Com o lançamento digital do álbum completo, o cantor começa a trabalhar o novo single, “Envelhecer com Você”.

Produzido pelo baterista e produtor Wlajones Carvalho no Estúdio Pacote, o álbum conta com dez canções. Jonavo comenta, “o processo de gravação do disco foi muito interessante, porque ele demorou 3 anos para ficar pronto. Enquanto eu estava fazendo a turnê do Folk na Kombi e trabalhando em outros projetos eu ia fazendo esse disco, como aquela obra de arte que você vai colocando ao poucos as coisas.”

O som de Jonavo tem uma relação com o campo e também com a cidade grande, ele tem essas duas vertentes. O cantor propõe com os shows de “Casulo” a experiência da reflexão do que é a música folk no Brasil e no mundo.

No repertório escolhido para o festival, estão “180 Fios”, “Musicando o Vento”, “Slackline in Love”, “Bom Dia”, “Caipira do Mato”, “Envelhecer com Você”, “Livre”, do sertanejo Sorocaba, que ganhou uma mistura arrojada de folk com hip hop, além das releituras de artistas como Zé Ramalho e Cat Stevens, John Mayer e Nando Reis embalam suas apresentações. Site: http://www.jonavo.com.br/

O som de Jonavo tem uma relação com o campo e também com a cidade grande.

Marcelo Jeneci

Pela primeira vez se despe completamente de toda a estrutura de banda para mostrar suas canções em estado bruto, do jeito que vieram ao mundo. O show solo nasceu da vontade de explorar ainda mais as funções de cantor, instrumentista e compositor que Jeneci vem amadurecendo ao longo de sua vida. Maturidade essa que se reflete no seu crescimento no palco e no reconhecimento cada vez maior de seu trabalho. No show Jeneci Solo, canções já conhecidas e adoradas pelo público, como “Felicidade”, “Pra sonhar”, “O Melhor da vida”, “Quarto de dormir” e “A vida é bélica”, chegam em roupagem nova e emocionante. As apresentações prometem surpreender ainda mais, trazendo músicas do próximo trabalho de Jeneci, ainda inéditas.

Nascido em São Paulo, o músico começou tocando sanfona na banda do artista Chico César, com quem fez uma turnê pela Europa em 2000. Tocou também nas bandas de Arnaldo Antunes e Erasmo Carlos.

O sucesso como compositor veio em 2008, com a canção "Amado", parceria com a cantora Vanessa da Mata que fez parte da trilha sonora da telenovela "A Favorita" (Rede Globo). Em 2011 participou do Rock in Rio Lisboa e em 2012 no Rock in Rio Brasil.

Escreveu canções em parceria com Arnaldo Antunes, Zé Miguel Wisnik, Luiz Tatit e outros grandes nomes da composição brasileira. Lançou em 2010 o seu primeiro álbum, "Feito para Acabar" e em 2014 o seu segundo disco "De Graça", ambos patrocinados via Natura Musical, lançados via a gravadora Slap/Som Livre e que recebeu ótima acolhida da crítica nacional e internacional.

Participou de diversas trilhas de filmes, programas de TV e de novelas da Rede Globo, com "Quarto de dormir " (em Lado a Lado, de 2012), "Feito para Acabar" (em Flor do Caribe, de 2013), "Um de Nós" (em Em Família, de 2014), e Veja (Margarida), regravação da canção de Vital Farias (em Velho Chico, de 2016).

Em 2015, gravou "Dia a Dia, Lado a Lado" com Tulipa Ruiz, com quem fez em seguida uma série de shows pelo Brasil e em 2017 saiu com o seu show Solo pelo país em todo circuito SESC, teatros de relevância, circuitos de música, alcançando todos os estados do país e internacionais. É a primeira vez que Jonavo e Jeneci se apresentam juntos. Site: http://www.marcelojeneci.com.br/

Confira, abaixo, uma performance do artista no Youtube:

Tributo à B.B. King com Nuno Mindelis, Victor Biglione & Tuco Marcondes - Blues

De cima para baixo, Nuno Mindelis, Victor Biglione e Tuco Marcondes. Juntos, os feras farão um tributo a B.B King.

Esses grandes nomes do blues nacional e reconhecidos internacionalmente estrão no palco do Ilhabela Folk&Blues para uma homenagem calorosa e emocionada a uns domaioires nomes da música de todos os tempos: B.B.Kink. No repertório, algumas das músicas que imortalizaram o homenageado, como Let The Good Times Roll, Trill is Gone, Caldonia, Sweet Sixteen, Everyday I Have The Blues.

Nuno Mindelis

Recém chegado de concorridos shows em Austin/Texas e em Luanda/Angola, onde se apresentou no Eastside King´s Festival e Jazzing Festival respectivamente.

Guitarrista e compositor, é um dos mais conceituados guitarristas de blues do Brasil, reconhecido e respeitado internacionalmente.Recém chegado de concorridos shows em Austin/Texas e em Luanda/Angola, onde se apresentou no Eastside King´s Festival e Jazzing Festival respectivamente.

Temas de seus álbuns Texas Bound e Blues On The Outside, recordistas em charts de vendas na Europa nos anos 90 ao lado de expoentes como BB King e RobertCray, releituras e visitas à outras sonoridades e novidades como cantar, pela primeira vez, no dialeto Kimbundu (língua da região de Luanda) estão no repertório intercalando com o vocabulário da sua guitarra premiada. Site e redes sociais: www.nunomindelis.comfacebook.com/nunomindelis |  twitter.com/nunomindelis

Victor Biglione

Consagrou-se no Brasil e no estrangeiro como um dos maiores guitarristas e violonistas da atualidade, conquistando o reconhecimento do público e dos críticos. O músico foi o único brasileiro a participar no New York Guitar Festival no segundo semestre de 2002 nos EUA, onde também foi consolidar sua prestigiosa parceria com o ex-Police Andy Summers, gravando o segundo CD do duo, Brazil Splendid, em Los Angeles.

Participou nos últimos dez anos dos principais festivais de jazz em vários continentes entre eles o Free Jazz por cinco vezes, o Festival de Montreal por quatro vezes, o New York Guitar Festival, entre outros, além de ter se apresentado mundo afora como convidado especial de importantes músicos brasileiros. Compôs ainda várias trilhas sonoras para cinema, TV e teatro.

Ganhou ainda o Grammy Latino pelo CD Crooner, gravado com Milton Nascimento. Biglione consagra-se também por ter sido o único brasileiro eleito pela Washburn, uma das maiores fabricantes de guitarras do mundo, para fazer parte do seu seleto grupo de melhores guitarristas do planeta. Com um estilo musicalmente eclético, misturando bossa nova, rock, jazz e blues, Victor já tocou com mais de 300 nomes da MPB e da música internacional. Lançou 16 CDs solos ou duos em diversos países e ainda, outros dois pela Cor do Som, banda que integrou de 1982 a 1984 contribuindo para a consagração do pop-rock brasileiro. Confira, abaixo, duas performances do artista no Youtube:

Tuco Marcondes

Produtor e multi instrumentista, desde 1980 ,vem atuando no cenário musical , participando de shows e gravações ao lado de importantes nomes da música no Brasil e no exterior .

Ao longo dos anos transitou por uma enorme variedade de estilos e instrumentos , como sitar indiano , banjo , dobro , gaita ,além do violão e da guitarra . Com isso atraiu a atenção de diversos artistas. Com alguns deles, tocou nos maiores festivais de Jazz do mundo como Montreux Jazz Festival (Suiça) , North Sea Jazz Festival ( Holanda) , Sfinks Festival ( Bélgica) e realizou apresentações por toda a Europa .

Entre os nomes com quem tocou e/ou gravou estão: Zeca Baleiro (com quem toca há dezessete anos), Fafá de Belém, Elba Ramalho ,Charlie Brown Jr., Fagner , Karnak , J. J. Jackson ,Titãs , Alejandro Sanz , Edson Cordeiro , Ana Carolina , Belchior , Zélia Duncan , Cássia Éller, Sérgio Godinho (Portugal) , Zé Geraldo , Simoninha , Nasi, Danilo Caymi , Ritchie , Swami jr ,etc..

Em 1996 lançou seu primeiro disco solo “Tuco Marcondes Band” com canções de sua autoria e atualmente prepara um segundo disco onde novamente mistura canções cantadas com peças instrumentais. Confira, abaixo, duas performances do artista no Youtube: 

Tony Lindsay - R&B

Tony Lindsay. Dono de 11 Grammy's.

Tony Lindsay ganhou 11 troféus Grammy como cantor principal da banda de Carlos Santana desde 1991, entre idas e vindas. Ele também lidera sua própria banda, Spang-a-Lang, que toca uma mistura de r&b, jazz e pop. O intérprete gravou e fez shows com astros do gabarito de Aretha Franklin, Al Jarreau e Teddy Pendergrass. Tony nasceu em Kingston, Nova York (EUA), e começou a cantar com apenas sete anos de idade.

Seu currículo de gravações inclui vocais de apoio para nomes do porte de Steve Winwood, The O’Jays, Teddy Pendergrass, Narada Michael Walden, Lou Rawls e Patty Austin. Lindsay também gravou trabalhos solo, entre eles o ótimo Memoirs From The Past, que inclui a deliciosa e dançante “Fun in the Sun”. Sites: http://www.tonylindsay.com/ | http://thejointchiefsband.com/

Confira, abaixo, quatro performances do artista no Youtube:

Rodrigo Suricato - Folk/Rock

Suricato. Artista pluras e multifacetado.

Ganhador do Grammy Latino de Melhor Álbum Rock Brasileiro em 2015, com as composições do projeto que leva seu sobrenome “Suricato”, Rodrigo é um um dos artistas mais atuantes e respeitados da nova safra da música brasileira.

O núcleo criativo Suricato, da qual é líder, compositor e multi-instrumentista, é apontado como uma das maiores expressões brasileiras do Folk/Rock e uma das gratas revelações da música nacional, com passagem em festivais internacionais como o Rock in Rio e Lollapalooza.

Paralelamente à Suricato, Rodrigo é convidado em 2017 para assumir os vocais e guitarra do Barão Vermelho. Com a difícil tarefa de suceder Cazuza e Frejat, seu trabalho à frente da banda é aclamado pela crítica especializada e pelo público de umas das mais icônicas bandas de Rock nacional de todos os tempos.

Nascido no Rio de Janeiro e autodidata desde os 8 anos de idade, já foi eleito o melhor guitarrista brasileiro de 2007 pela Gibson USA, Revista Guitar Player e IM&T.

Artista plural e multifacetado, Rodrigo se apresenta em show “one man band”, ao lado de sua inseparável mala-bumbo e muitos outros instrumentos, onde toca suas influências folk/blues junto à sucessos da carreira. Confira, abaixo, duas performances do artista no Youtube:

Anthony King´s Band com Nathalie Alvim, Izzy Gordon e Tony Lindsay Blues/R&B

Anthony King nasceu em Monterey, California (EUA), filho de um baterista e de uma cantora. Ele trabalhou nas gravadoras Motown e Polygram, e acompanhou a cantora Rosie Gaines e também os seus parceiros no show do Bourbon Paraty Festival, Tony Lindsay e Ms. Monet, além de ter tido projetos com o cantor Larry Bragg (da banda soul Tower Of Power) e o baixista Skylark (que tocou nos anos 1990 com a banda The Doobie Brothers).

Atualmente, King é o baterista da banda The Joint Chiefs, uma das mais badaladas de San Francisco. No currículo, prêmios como o Gospel Emmy Awards e citação como um dos melhores bateristas em diversas revistas especializadas, como a Modern Drummer Brasil e a Urban Drummer Magazine americana.

Ele também atua como educador e considera São Paulo a sua 2ª casa. Em 2015, lançou o CD Travels Of Escobar, acompanhado apenas por músicos brasileiros, e atualmente está trabalhando em um novo trabalho novamente ao lado de jovens músicos brasileiros. Ele acredita que “o mundo precisa conhecer o incrível talento desses músicos”. Site: http://thejointchiefsband.com/

Izzy Gordon

Dona de um registro vocal sedutor e muito afinado, a diva de Bono Vox e Paul McCartney vem conquistando seu espaço no concorrido mercado de cantoras.

Izzy Gordon consagrou sua voz através do jazz e da bossa nova. Depois de 20 anos de carreira, se apresentando nos melhores palcos do Brasil e do mundo, a cantora decidiu ir além com o disco "O Que Eu Tenho Pra Dizer" (2010), produzido e lançado pelo selo Label A. Este é o segundo álbum da diva negra de voz potente, porém é o primeiro onde ela realmente expressa seus gostos por ritmos, melodias e timbres. Vale lembrar que em 2006, Izzy debutou nas prateleiras com uma homenagem a sua tia, a fabulosa Dolores Duran, através do álbum "Aos Mestres Com Carinho". A artista ainda debuta como compositora na faixa-título, que coloca a bossa nova em contato com a cuíca.

Em 2011, recebeu o convite da gravadora Joia Moderna para fazer um projeto calçado essencialmente na obra de alguns dos nossos maiores e mais expressivos compositores negros. Izzy Gordon empresta sua alma de intérprete emocionada à esses clássicos da nossa música e surpreende ouvintes mais assíduos acostumados ao seu suingue em discos sacolejantes.

"Negro Azul da Noite" também é um convite para curiosos por novas cantoras descobrirem Izzy Gordon, como eu, que um dia descobri seu registro caseiro de "Pescador de Ilusões" do grupo O Rappa e me apaixonei imediatamente por sua voz surgindo assim o convite para fazer esse disco. Site: http://www.izzygordon.com/

Nathalie Alvim

Cantora, iniciou seu contato com a música desde pequena. Aos 19 anos cantou ao lado de Tony Lindsay (vocalista do Santana) em sua turnê pelo Brasil. Com suas influências do rock, por ouvir desde a adolescência, em 2012 lançou seu projeto "Rockin' Soul", releituras de clássicos do rock, no Bourbon Street Music Club, em São Paulo. Mais tarde cantou uma das músicas do disco, "Try", abrindo o Programa do Jô (Rede Globo).

Em 2014 foi destaque no programa The Voice Brasil (Rede Globo), com sua versão visceral de "Whole Lotta Love" e participou de outros programas como "Na Voz Delas" do Canal Bis.

Em 2017 lançou seu primeiro single "Só tudo isso". Uma parceria com o cantor/compositor Daniel Lotoy.

Participou de vários festivais, como Bourbon Festival Paraty, Garanhuns Jazz Festival e

Recife Blues & Jazz Festival em Recife, Jazz Porto (Porto de Galinhas – PE); Ilha Verão em Ilha Comprida, entre outros.

Confira, abaixo, uma performance da artista no Youtube: 

Zeca Baleiro Folk & Blues - Folk Brasil

Carreira sólida. Zeca Baleiro mostrará sua faceta bluseira no festival.

Zeca Baleiro mostrará sua faceta mais blueseira no Festival BB Seguridade de Blues e Jazz. O repertório terá clássicos do blues americano, de artistas como Leadbelly e Albert Collins, e clássicos brazucas de autoria de Sergio Sampaio e Celso Blues Boy. Baleiro cantará ainda canções da própria lavra, como "Blues do Elevador" e "St Louis Blues", esta última inédita. O set se completará com releituras de canções com pegada bluesy e jazzy.

Zeca Baleiro tocará acompanhado de seu versátil quarteto: Tuco Marcondes (guitarras e vocais), Adriano Magoo (teclados, samplers, sintetizadores e acordeon), Fernando Nunes (baixo) e Kuki Stolarski (bateria e percussão).

Em 2017 Zeca Baleiro celebra 20 anos do lançamento de seu primeiro disco, “Por Onde Andará Stephen Fry?” (1997). Desde então, lançou outros nove discos de inéditas, alguns (vários) projetos especiais e oito DVDs. Em 2014 lançou seu primeiro álbum infantil, “Zoró [Bichos Esquisitos] Vol.1”, que ganhou um aplicativo e saiu em dvd com animações em 2016, mesmo ano em que lançou “Era Domingo”, seu 10º álbum de inéditas.

Artista plural, ele construiu uma carreira sólida, sempre surpreendendo público e crítica a cada trabalho. Com melodias certeiras, arranjos elaborados e poesia em alta voltagem, Baleiro apresenta sua espirituosa visão de mundo em canções originais. Além disso, tem se revelado sagaz intérprete de outros compositores e se envolvido com novas áreas, como a literatura e o teatro. Site: http://www.zecabaleiro.com.br

Buskers - Ao longo dos dias pelas ruas e praias

Super versátil. Além de ser multi-instrumentista, Vasco Faé ainda canta.

Vasco Faé

Caso não existisse, seria preciso inventar um artista tão perfeito para exercer a nobre tarefa de ser um músico de rua – ou seja: um busker. O multi-instrumentista Vasco Faé toca gaita, bumbo e guitarra- e ainda canta! É esse homem-banda que vai embalar os transeuntes pelas ruas de Ilhabela, durante a 2ª. edição do Ilhabel Folk & Blues Festival.

Vasco Faé faz de sua antológica versão de “Trem das Onze” misturada com “Hoochie Coochie Man” um dos pontos altos de suas apresentações. Por isso, não estranhe se ouvir clássicos como “Medo da Chuva” (Raul Seixas), “Rock’n Roll” (Led Zeppelin) e “Eu Só Quero um Xodó” (Dominguinhos) com levada bluesy. Vasco integrou o Blues Etílicos entre 2003 e 2005,com o qual gravou o disco Cor do Universo (2003). Ele também fundou e faz parte do grupo Irmandade do Blues, com três discos e um DVD ao vivo.

Em 2007, o homem-banda lançou Manoblues, seu segundo disco solo e fruto de uma pesquisa sobre o Delta Blues da década de 1920. Gravou sozinho em dois terços das músicas. No resto, contou com participações de Andreas Kisser (que Faé acompanha em sua carreira-solo), Fábio Azeitona, Ivan Márcio e Theo Werneck. Site: http://www.manoblues.com/

Folk it All. Trazendo novos ares ao folk americano pelos palcos de todo o Brasil.

Folk it All

Sucesso absoluto em todas suas apresentações, a banda Folk it All combina as raízes do Folk com a energia do Rock, prova disso é o repertório que passeia de Cat Stevens a Queen, John Mayer, Bob Dylan, James Taylor, Ray Charles e até Michael Bublé, em um show animado e emocionante!

Filhos de músicos e amigos de infância, Renato Abreu e os irmãos Mark Dee e Marcelo Marchiori já nasceram íntimos do folk. Seus pais compunham a banda Blue Gang, que foi a primeira banda a gravar um disco Country/Folk no Brasil. Já nos anos 2000, juntos formavam a banda “American Wild West”, campeã do prêmio “Arena de Ouro” como melhor banda country do Brasil. Hoje, juntos novamente, voltam às origens com a “Folk it All”, trazendo novos ares ao folk americano pelos palcos de todo o Brasil. Rede social: https://pt-br.facebook.com/bandafolkitall/

Confira, abaixo, quatro performances da banda no Youtube:

DJ Crizz (Brasil)

DJ profissional desde 2003, Crizz vai fechar as noites noites do festival com folk, blues e música brasileira. É uma verdadeira máquina de hits, acumulando a responsa adicional de ser o DJ oficial da casa de shows paulistana Bourbon Street Music Club, além de discotecar em diversos tipos de festivais de jazz e outros eventos – entre eles, a festa particular de Paul MacCartney.

DJ Crizz. Uma verdadeira máquina de hits e DJ oficial da casa de shows paulistana Bourbon Street Music Club.

SERVIÇO:

Bourbon Folk & Blues Ilhabela

Mais informações : 11 5095-6100

Site: www.folkbluesilhabela.com.br

Facebook: www.facebook.com/folkbluesilhabela

HASHTAGS: #4FestivalBourbonFolkeBluesdeIlhabela #FestivalBourbonFolkeBluesdeIlhabela #FestivalBourbonFolkeBlues #FolkeBlues #Folk #Blues #llhabela #festivaldemusica #BourbonStreetMusicClub #BourbonStreet

Deixe um comentário