SPFW: micro e pequenos empreendedores participam da maior semana de moda do país

Convênio entre Sebrae e In-Mod já beneficiou mais de 1 mil pequenos negócios brasileiros e chega ampliado à segunda edição para fomentar o empreendedorismo na moda.

Convênio entre Sebrae e In-Mod já beneficiou mais de 1 mil pequenos negócios brasileiros e chega ampliado à sua segunda edição.

O Contextualizar na Moda II, convênio firmado entre o Sebrae e o Instituto Nacional de Moda e Design (In-Mod), inicia sua segunda edição no São Paulo Fashion Week Verão 2016. Cerca de 150 pequenos empresários de todo o Brasil participarão da primeira missão técnica do convênio durante esta temporada da maior semana de moda do hemisfério sul. Os empresários vão cumprir uma agenda intensa durante o SPFW com visitas ao backstage de desfiles, encontros com consultores e pesquisadores para acompanhar desfiles ao vivo comentados por especialistas em comportamento de consumo e tendências, além de encontros com diretoria e presidência de grandes grupos de varejo de moda. 

Entre eles está previsto um encontro na InBrands – detentora de marcas como Ellus, Alexandre Herchcovitch e Salinas. Os participantes contarão, ainda, com um espaço dedicado Sebrae no São Paulo Fashion Week para relacionamento e troca de conhecimento. A 39ª edição do SPFW acontece de 13 a 17 de abril no Parque Cândido Portinari, em São Paulo. 

O convênio insere empreendedores neste contexto, gera informação, treinamento, conhecimento, vivência prática e facilita o desenvolvimento de negócios e projetos entre as empresas que estão começando e aquelas que já se estabeleceram no mercado.

Os microempreendedores individuais (MEIs), empreendedores com faturamento de até R$ 60 mil por ano e até um funcionário já são responsáveis por mais de R$ 120 mil empreendimentos no mundo da moda brasileira. Isso corresponde a cerca de 46% das empresas do setor, segundo levantamento realizado pelo Sebrae. Os dados mostram ainda que outros 44% desse universo são de micro empresas (com faturamento até R$ 360 mil) e 10% de pequenos empreendimentos (faturamento até R$ 3,6 milhões), somando 271 mil estabelecimentos, o equivalente a cerca de 98% do total geral de empresas do mercado brasileiro de moda.

Ingressando na formalidade

Em entrevista a edição especial da FFWMag de 2014, o presidente do Sebrae, Luiz Barreto, afirmou que “a figura do MEI permitiu que muitas pessoas que trabalhavam na informalidade ganhassem uma cidadania empresarial e benefícios previdenciários. E, especialmente no universo da moda, há muitas oportunidades para estes empresários. Existem cerca de 25 categorias do setor que podem ser MEI, como bordadeira, costureira, fabricante de contos e ourives, entre outros. É a chance de entrar pela porta da frente no mundo dos negócios”. 

Na visão de Paulo Borges, idealizador do São Paulo Fashion Week, os MEIs são estratégicos para o setor da moda: “O conceito MEI atende esta vocação empreendedora do brasileiro e oferece a possibilidade de inserção e valorização desses profissionais no mercado da moda”. 

Experiência de varejo 

Além da agenda de missão técnica, o convênio viabilizará a participação de 17 micros e pequenas empresas de 10 estados brasileiros numa experiência de varejo única por meio do FFWSHOP – loja Popup de design e acessórios com curadoria assinada pelo SPFW e instalada no evento. A ação marcará a primeira participação de 10 das marcas escolhidas: Marchetaria, do Acre; Bruna Bert, de Alagoas; Native, do Amazonas; Mito, da Bahia; Carola, do Piauí; Vale da Seda, Do Paraná; Ame Bijoux e Escudeiro, do Rio de Janeiro; Dog Club, de Santa Catarina; e Rosi Zanon, de São Paulo.

Entre as que retornam, estão: Rita Prossi (AM), Nathalia Tolentino (GO), Palone Design (RN), e Miwa (DF). Serão comercializados itens exclusivos, com valores entre R$ 50 e R$ 1,500, que incluem roupas, acessórios, calçados, linha pet, jóias, bolsas, artigos para viagens, entre outros. A primeira edição do Contextualizar na Moda, já beneficiou mais de 1 mil empreendedores, dentre eles, 69 já participaram da loja. 

Foco no crescimento

A grande evolução do Contextualizar na Moda II será sintetizada no projeto “Top 05”, que tem como objetivo identificar e revelar um grupo de empreendedores nas diversas atividades que envolvem a carteira da moda, ajudando a acompanhar e desenvolver uma metodologia organizacional, aumentando a perspectiva de crescimento e consolidação destas marcas no mercado. 

Serão escolhidos 5 pequenos negócios que receberão diretamente o acompanhamento de uma equipe especializada de consultores. A proposta é criar cases de sucesso, que sirvam de modelo e inspiração para outros pequenos negócios e que possam apontar caminhos para atuar no mercado de alto valor agregado. 

A finalidade maior desta ação é abrir novas oportunidades e dar todo o suporte e consultoria aos empreendedores selecionados pelo Sebrae, identificar aqueles com maior vocação para o desenvolvimento de produtos de valor agregado para a moda a fim de provocar um crescimento mais acelerado e de qualidade. 

O convênio

O Contextualizar na Moda nasceu da necessidade de inserir as micros e pequenas empresas brasileiras no mercado de alto valor agregado da moda. Num cenário como o que tem se estabelecido nos últimos anos, bastante favorável, em razão das mudanças na legislação, com a criação da Lei Geral da Micro e Pequena Empresa, que possibilitou a criação do Supersimples e do Microempreendedor Individual, somado ao aumento de renda da população, o investimento na capacitação e formalização do setor tornou essencial. 

A primeira execução, assinada entre o Sebrae e o Instituto Nacional de Moda e Design (In-Mod) em 2012, veio ao encontro dessa demanda. Por meio dele, é possível criar oportunidades, não apenas para empreendedores do segmento têxtil e confecção, mas também dos ramos de calçados e acessórios, com foco no mercado de alto valor agregado. 

As empresas escolhidas participam de uma programação intensa de consultorias, capacitações, palestras e participações em feiras, workshops e exposições, tendo acesso aos bastidores dos principais eventos do calendário da moda no Brasil: São Paulo Fashion Week (SPFW) e Movimento Hot Spot, além da Revista FFWMAG.

3 Comments

  1. Acho maravilhoso esse meio da moda! Gostaria de participar e ser parte atuante desse segmento. Estou pensando em cursar estilismo e transformar minhas ideias em modelos verdadeiros.

  2. taianny silva disse:

    Eu Queria Ser Modelo como Faço Pra Conseguir???

Deixe um comentário

*