Conheça as riquezas gastronômicas do País Basco

Região do norte da Espanha é cheia de segredos escondidos.

Pouco explorado, o País Basco reúne ótima gastronomia, belas paisagens e praias além, é claro, de clubes de futebol muito tradicionais. Geralmente preteridas pelos turistas, que optam por explorar o sul da Espanha, e com a forte concorrência da Galícia – famosa pelos Caminhos de Santiago -, as cidades bascas possuem muitos segredos que precisam ser desvendados, e que vão muito além do esporte da bola nos pés.

De paisagens naturais incríveis, com montanhas e praias, a restaurantes de arquitetura e gastronomia admiráveis, se engana quem pensa que o roteiro gastronômico do País Basco se resume aos famosos restaurantes com estrela Michelin. Apenas para citar um exemplo, a peculiaridade da região já começa com as tradicionais tapas – os famosos os tira-gostos espanhóis -, que tanto em San Sebastián quanto em Bilbao são chamadas de pintxos .

Trata-se da famosíssima ‘cozinha em miniatura’, marca registrada do País Basco. Que consiste em pratos como croquetes de presunto, bacalhau, cogumelos e carne, geralmente servidos em bares, sobre os balcões, onde é normal comer em pé – sempre acompanhado de alguma bebida, seja vinho branco, tinto, cerveja ou sidra (bastante tradicional no país).

A dica para quem quer passar o dia comendo e bebendo é começar cedo, assim os bares estarão mais vazios e ficará mais fácil encostar no balcão para pedir uma bebida e pegar os pintxos que ficam dispostos em enormes quantidades.

O movimento de andar de bar em bar, petiscando e bebendo pequenos copos de bebida é um clássico e faz parte do DNA espanhol. No País Basco, onde os restaurantes com estrela Michelin brilham aos olhos dos foodies de plantão, há também a tradição de curtir as cidades fazendo uma rota de botecos que não tem hora para acabar.

O centro antigo de San Sebastian, por sua vez, concentra a maioria dos mais de 200 bares da cidade, repletos de ingredientes emblemáticos da região – como vitela, porco, merluza, anchova e caranguejo – que podem ser preparados de diversas formas. A cidade que serve de casa para o Real Sociedad, que já conquistou a LaLiga em duas oportunidades na década de 1980, hospeda alguns dos melhores bares da região, como o ‘Goiz-Argui’ – famoso pelas suas bruschettas de camarão sem casca, fresquíssimos, e temperadas com o vinagrete secreto da casa.

Há também o bar ‘Txepetxa’, onde quase todo mundo vai atrás das anchovas, que são servidas em mil e uma variações, tidas como as melhores da cidade; o ‘Zeruko’, um dos redutos com os pintxos mais inventivos e meticulosamente apresentados, contrastando texturas e sabores; o ‘Fuego Negro’, onde o chef Edorta Lamo faz uma cozinha caprichada e muito acessível, feita especialmente para se comer em pé; e o ‘Nestor’, um dos favoritos de muitos chefs e críticos gastronômicos, onde a tortilha de batatas é um concorrido hit, que pode acompanhar uma celebrada salada de tomates (prato mais famoso da casa).

Isso, sem falar no bar ‘Ganbara’, cuja especialidade são os cogumelos selvagens preparados na chapa e servidos com uma gema mole; o ‘La Cuchara de San Telmo’, onde chegar ao balcão já é uma aventura, pois os pintxos são preparados na hora, sem ficar expostos – além de ser dono de uma das melhores bochechas de vitela, que chegam a desmanchar na boca; e o ‘La bodeguilla Donostiarra’, aconchegante e queridinha de muitos chefs, tem como carro chefe as saladas russas e as gildas (famoso pintxo de azeitona, anchova e pimenta guindilha servidos num palito).

Já Bilbao, tida como o ‘patinho feio’ do País Basco até os anos 1990, deu a volta por cima quando ganhou sua principal atração turística: o Museu Guggenheim. Sua gastronomia, no entanto, tem as mesmas raízes de San Sebastian – sendo mais barato e com menos turistas.

As duas zonas que merecem a atenção dos apaixonados por gastronomia são o centro antigo (‘casco viejo’, em basco) e os arredores da Diputación (que nada mais é que a administração regional), onde as tapas são elevadas à já citada categoria de alta cozinha em miniatura.

A casa dos Leones do Athletic Club, equipe que já venceu a LaLiga em oito oportunidades, entre as décadas de 1930 e 1980, também possuem grandes e famosos bares: como ‘El Globo’, que além do balcão também contra com um salão, que vende o famoso pintxo ‘Txangurro’ (com caranguejo desfiado e gratinado sobre uma torradinha).

Já o bar ‘Promenade’, que se esconde por trás de uma porta amarela, serve com maestria um virtuoso vermute – delicioso aperitivo amarginho – tanto puro, como aditivado com gostas de gin ou angostura, principalmente como acompanhamento das já citadas gildas, a mãe de todos os pintxos .

Há ainda o ‘La olla de la Plaza Nueva’, que conta com um extenso balcão de pintxos como as latinhas de boquerones (ou anchovas, em português) em vinagrete e cogumelos recheados; e o ‘El puertito’, especializado em ostras nacionais e importadas, que acompanham uma seleção enxuta de txacolis (vinho branco ou tinto de baixa graduação alcoólica do País Basco, que tem duas denominações: Txacoli de Getaria e Txacoli de Vizcaya, sendo leve e ligeiramente frisante).

Por fim, mas não menos importante, tem o ‘La Viña del Ensache’, que além do balcão de pintxos, serve pratos como ovo, foie gras, cogumelos e purê de batatas em uma panela ou com o delicioso porco ibérico cozido a baixa temperatura; e o ‘Sorginzulo’, um minúsculo bar que possui ótimos pintxos quentes como o brioche com foie gras, nozes e mel, acompanhado de um típico clarete (vinho rosado bem suave).

Serviço:

Conheça os bares do País Basco

San Sebastian:

Goiz-Argui: aberto das 10h às 16h / 18h30 às 23h30

(Rua) Calle Fermin Calbeton Kalea, 4 – 20003 Donostia, Guipuzcoa, Espanha.

Txepetxa: aberto das 12h às 15h / 17h30 às 20h

(Rua) Calle Arrandegi Kalea, 5 – 20003 Donostia, Guipuzcoa, Espanha.

Zeruko: aberto das 12h30 às 16h / 19h30 às 23h30

(Rua) Calle Arrandegi Kalea, 10 – 20003 Donostia, Guipuzcoa, Espanha.

Fuego Negro: fechado por conta da pandemia

(Rua) Calle 31 de Agosto Kalea, 31 – 20003 Donostia, Guipuzcoa, Espanha.

Nestor: aberto das 12h às 20h / fechado às segundas

(Rua) Calle Arrandegi Kalea, 11 – 20003 Donostia, Guipuzcoa, Espanha.

Ganbara : aberto das 12h às 15h15 / 19h às 23h / fechado às segundas, terças e quartas

(Rua) Calle San Jeronimo Kalea, 19 – 20003 Donostia, Guipuzcoa, Espanha.

La Cuchara de San Telmo : aberto das 12h às 15h30 / 19h30 às 23h / fechado às segundas

(Rua) Calle Santa Korda Kalea, 4 – 20003 Donostia, Guipuzcoa, Espanha.

La bodeguilla Donostiarra : aberto das 11h às 15h / 17h às 23h

(Rua) Calle Easo Plaza, 3 – 20006 Donostia, Guipuzcoa, Espanha.

Bilbao:

El Globo: aberto das 09h às 20h / fechado aos domingos

(Rua) Calle Diputazio Kalea, 8 – 48008 Bilbao, Biscaia, Espanha.

Promenade: aberto das 12h às 00h / 12h às 17h aos domingos

(Rua) Calle Ledesma, 32 – 48001 Bilbao, Biscaia, Espanha.

La olla de la Plaza Nueva: aberto das 08h às 22h30 / 10h às 22h30 aos domingos

(Rua) Calle Nueva Plaza, 2 – 48005 Bilbao, Biscaia, Espanha.

El puertito: aberto das 10h às 22h / 11h às 23h aos finais de semana

(Rua) Calle García Rivero Maisuaren Kalea, 1 – 48009 Bilbao, Biscaia, Espanha.

La Viña del Ensache: fechado por conta da pandemia

(Rua) Calle Diputazio Kalea, 10 – 48008 Bilbao, Biscaia, Espanha.

Sorginzulo: aberto das 09h30 às 23h / 10h às 16h aos domingos

(Rua) Calle Plaza Nueva, 12 – 48005 Bilbao, Biscaia, Espanha.

#PaisBasco
#GoizArgui
#Txepetxa
#Zeruko
#FuegoNegro
#Ganbara
#Sorginzulo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*