Professora de escola pública adota "poemas filosóficos" de Fabiano de Abreu, em aula de filosofia

Elaine usou um dos poemas para trabalhar com os alunos do 3º ano do Ensino Médio, com excelentes resultados.

A professora Elaine de Andrade Portilho, que leciona História e Filosofia na Escola Estadual Terezinha Pinto Fernandes Maia, na cidade de Alpercata, em Minas Gerais, está usando 'poemas filosóficos' do poeta e filósofo luso-brasileiro Fabiano de Abreu, autor do livro "Viver Pode Não Ser Tão Ruim". Elaine encontrou na filosofia rimada, uma maneira de prender a atenção dos alunos e tornar suas aulas divertidas. 

"Usei um dos poemas para trabalhar com os alunos do 3º ano do Ensino Médio. Lemos o poema e após fizemos uma reflexão sobre o mesmo sobre a importância de deixarmos nossas marcas na sociedade, fazendo diferente para darmos sentido à nossa vida ao mesmo tempo em que podemos transformar a nossa vida em uma vida feliz, prazerosa.

Para Fabiano de Abreu, rimar filosofia foi uma maneira de "gritar ao mundo".

A aula foi interessante porque os alunos, apesar de serem alunos de classe média e baixa, a maioria residindo na zona rural, participaram animados e chamaram atenção para algumas partes do poema que consideraram importante", conta Elaine de Andrade Portilho.

"Eles ficaram encantados quando eu disse que contaria ao Fabiano de Abreu sobre a aula. É muito prazeroso trabalhar com esses alunos, pois são pessoas simples, mas que sonham com um futuro melhor, gostam de participar de tudo que acontece e são seres humanos maravilhosos. São o meu xodó (risos)", exalta a professora.

Para Fabiano de Abreu, rimar filosofia foi uma maneira de "gritar ao mundo", mas de uma forma que escutem, entenda: "As pessoas não lêem mais, não se preocupam, esqueceram que um dia vão morrer. A filosofia é isso, perceber que existe um fim e, viver a vida da melhor maneira possível é importante, pois ela é curta. Eu gosto de escrever poemas, eu amo filosofia, faço isso desde que me entendo por gente. Rimar filosofando é algo que diverte a mim e é uma maneira de chamar a atenção para que percebam. Veja bem, não escrevo para que vejam, escrevo para que o mundo entenda e que a sociedade possa ser melhor, escrevo com boas intenções, reflexões para que possamos viver uma vida mais feliz. Quando a professora me disse que estava a usar minhas frases, percebi que não estou nessa vida em vão e, em meio a falta de interesse das pessoas na filosofia e na razão da vida, percebi que não posso parar", afirma o poeta.

O livro "Viver Pode Não Ser Tão Ruim" de Fabiano de Abreu, foi lançado primeiro na Biblioteca Municipal de Castelo de Paiva, em Portugal, logo após na Biblioteca de São Lázaro, na capital Lisboa. O lançamento depois aconteceu na Universidade Gregório Semedo, em Luanda, Angola, e por fim na Biblioteca Nacional do Rio de Janeiro onde encontra-se eternizado.

Fabiano de Abreu revelou recentemente que pretende lançar seu segundo livro após o sucesso de "Viver Pode Não Ser Tão Ruim", da editora Albatroz. "Penso em escrever o meu novo livro que já tem nome: 'Viver Pode Não Ser Tão Ruim – Das frases ao contexto'. Nesta obra escolherei algumas ou uma das principais frases que criei para transformar em um grande tema, mais completo, divertido, dinâmico e atraente. Ainda não procurei editoras em Portugal, onde atualmente vivo, para o novo lançamento que ainda não há uma data prévia, mas estou aberto a propostas", detalha o escritor.

HASHTAGS: #ElainedeAndradePortilho #EscolaEstadualTerezinhaPintoFernandes #ViverPodeNaoSerTaoRuim #poemasfilosoficos #FabianodeAbreu #filosofia #auladefilosofia

Deixe um comentário

*