Os maiores nomes da literatura mundial correm perigo!

Neste livro, William Shakespeare, Agatha Christie e as Irmãs Brontë contam com a ajuda de Arquimedes, um bibliotecário peculiar, para salvar o universo de Literária.

Na cidade de Bela Leitura, a cafeteria de Agatha Christie é parada obrigatória, mas não sem antes passar na banca de jornal do senhor Charles Dickens e visitar a fazenda das Irmãs Brontë. É para esta realidade paralela, onde figuras ilustres da literatura mundial coexistem em novas vidas e ocupações, que o escritor Vinícius Lima Costa transporta Arquimedes, um bibliotecário com uma singular mente e forma de ver o mundo.

Recrutado para investigar e enfrentar misteriosas ameaças do tal “Sabotador”, o protagonista se torna O patrulheiro literário, que intitula o primeiro volume da série Conspiração Literária. Mas vivenciar tantas mudanças não é algo fácil para Arquimedes, que precisa lidar com a dificuldade de se adaptar a novos ambientes e pessoas. Enquanto isso, interage com nada mais nada menos que William Shakespeare e Arthur Conan Doyle, nomes hoje eternizados pelos livros.

Disposto a driblar o medo e aflições, o bibliotecário, que é beatlemaníaco, faz da música um porto seguro. São nas canções do quarteto inglês, de bandas como Scorpions e de cantores como Elton John que ele consegue se reconectar com seu local de origem. As referências são distribuídas ao longo da narrativa, como uma espécie de trilha sonora, um convite para “dar o play” ao longo da leitura.

— Calma. Quer conversar comigo? Eu te conheço sim. Mas antes, não quer comer algo?
Eu trouxe alguns morangos para o meu lanche. São dos campos da fazenda onde moro.
— Morangos? – Perguntou alegremente Arquimedes. – Campos? “Strawberry fields forever”.
Eu quero! Normalmente alguém poderia estranhar a conduta pouco cerimoniosa de Arquimedes
em aceitar os morangos, mas a feirante entendeu que aquela era a forma como ele expressava
sua confiança nela. 
(O patrulheiro literário, pág. 71)

O bom-humor, o mistério e a aventura são peças que guiam a trama de Vinícius Lima Costa na intenção de cativar de entusiastas da música a apreciadores de bons filmes e da literatura imortalizada ao longo dos séculos. O autor ainda espalha “easter eggs” pela história, que revelam curiosidades da vida real, como a desavença entre Arthur Conan Doyle e Maurice Leblanc.

Já a ambientação “vintage” do século 19 e o aspecto moderno das tecnologias lembram filmes de ficção científica e quadrinhos, que costumam utilizar desta junção nas tramas. Nesse contexto, o universo narrativo ganha vida não apenas a partir das paixões e interesses do autor, mas também se entrelaça com a inspiração pessoal advinda da convivência com seus dois filhos autistas. Ao conduzir Arquimedes por esta jornada do herói, busca despertar empatia, compreensão e sensibilidade no leitor.

FICHA TÉCNICA

Título: O patrulheiro literário
Série: Conspiração em Literária
Autor: Vinícius Lima Costa
Editora: Códice Editorial
Páginas: 370
Preço: R$ 69,90
Onde comprar: Códice Editorial e Amazon

O AUTOR

Vinícius Lima Costa é mineiro, formado em Direito pela PUC-MG e atua como procurador municipal na cidade de Contagem. Apesar da escolha profissional, Vinícius sempre amou ter contato com as artes, principalmente música e literatura. Cresceu ouvindo os discos de música clássica do pai e teve aulas de piano com a mãe; na escola, as aulas de redação sempre lhe deram liberdade de produzir textos bem-humorados.

Fã dos clássicos da literatura, ele estreia neste universo com a ficção O patrulheiro literário, e já prepara a publicação dos novos volumes da série. Além disso, é apaixonado por animes e tokusatsus, e leva personagens clássicos de HQ’s e seriados dos anos 1970 e 1980 para o universo cosplay.

Redes sociais: Instagram

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*