Festival Cultura e Gastronomia Tiradentes reuniu mais de 20 mil pessoas no primeiro final de semana, de 24 a 26 de agosto

Até o dia 2 de setembro, o evento continua com diversas atrações gastronômicas e espera um público total de 45 mil pessoas.

A 21ª edição do Festival Cultura e Gastronomia Tiradentes começou a celebrar os 300 anos da cidade com cerca de 20 mil pessoas no último fim de semana, de 24 a 26 de agosto. As atrações gastronômicas ocuparam os espaços públicos com estandes de chefs mineiros, cozinhas ao vivo, aulas e palestras, além dos festins, jantares requintados com chefs convidados. O evento, promovido pela Plataforma Fartura – Comidas do Brasil, vai até o dia 2 de setembro, com uma programação intensa.

“Nos últimos três anos, ocupamos mais espaços na cidade, para que o Festival se tornasse mais acessível. Ampliamos a programação e o evento ficou mais democrático. Então o público pediu a volta dos festins, que são limitados a poucas pessoas. Mas também é um momento em que o chef pode ousar, experimentar, é um espaço de vanguarda. Fizemos os dois primeiros este fim de semana e foi uma decisão acertada”, comenta o diretor do Festival, Rodrigo Ferraz. O chef cearense Leo Gonçalves e o mineiro Ronie Peterson dividiram a cozinha no primeiro festim, na sexta (24), enquanto o estrelado Léo Paixão recebeu o português Luís Espadana no sábado (25).

Entre os restaurantes da Praça da Rodoviária, as iscas de tilápia com molho de limão do Albanos e a coxinha de carne de sol e requeijão de raspa foram os pratos que mais agradaram o público. Nas Cozinhas ao Vivo deste espaço, a guacamole com molho de tucupi e camarão, do chef Ivo Faria, despertou a curiosidade das pessoas presentes e foi aprovada.

Na Praça Sesc Campos das Vertentes, o estande do restaurante Gourmeco se destacou com pratos inusitados, o Camaghetti – camarões empanados no spaguetti e fritos; e o risoto de doce de laranja da terra com queijo camembert. As Cozinhas ao Vivo desta praça celebraram os primórdios da cozinha mineira, com pratos como a canjiquinha com costelinha, do chef Marcus Lube; e as curas antigas de carnes, com porco defumado com angu e cachaça, do chef Ronie Peterson.

Para quem buscou aprendizado, o Festival Cultura e Gastronomia Tiradentes também é uma referência. Com três espaços dedicados a aulas – Pousada Escola Senac e a Praça Senac Conhecimento (com espaço degustação e interativo), o evento ofereceu mais de 15 temas ao público, desde uma oficina para fazer o melhor café em casa ou qual o polvilho ideal para o pão de queijo, até receitas diversas como o risoto das gerais, ou o terrine de campagne.

E para levar um pouquinho do Festival para casa, o público visitou o espaço Produtos e Produtores com tudo de mais saboroso que minas pode oferecer: queijos, geleias, cafés, doces, biscoitos, entre outros produtos. Uma programação musical instrumental embalou as experiências e intervenções teatrais interagiram com os convidados ao longo dos dias. As viagens nas redondezas realizadas pelo projeto Experiências Gastronômicas permitiram que o público conhecesse a origem dos alimentos e seu caminho até a mesa. E durante o Festival, a cidade se mobiliza para realizar eventos especiais, que complementam a programação.

O Festival Cultura e Gastronomia Tiradentes continua com os mesmos estandes na praça no próximo final de semana (de 31 de agosto a 2 de setembro), novas aulas e palestras, shows musicais, além de eventos pontuais durante a semana.

Deixe um comentário