Economia Lucrativa e Verde: qual é a estratégia da sua empresa?

A indústria precisa reduzir sua pegada de carbono obtendo, com isso, vantagens em uma produção mais limpa.

POR CRIS BALUTA*

CRIS. Se sua empresa tem propósito, demonstre.

Graças ao termo ESG, em inglês, Environmental, Social and Governance ou ASG – Ambiental, Social e Governança, cujo movimento surgiu há mais de 10 anos, empresários, executivos, stakeholders, empresas e a sociedade em geral entraram rapidamente na era verde.

Obviamente tornar uma empresa verde não é uma tarefa fácil, porém estamos em um momento que podemos formular respostas e buscar soluções que correspondam realmente às necessidades.

Qual sua estratégia verde?

Não se trata única e exclusivamente de uma pergunta de marketing, mas, sim, nos faz refletir sobre como nossas empresas se relacionam com as questões ambientais, sociais e de governança. É uma indagação que cabe e deve ser colocada para toda e qualquer empresa, independente de seu porte.

Neste século XXI, a crescente economia verde está voltada aos desafios ambientais e sociais do mundo, criando novas oportunidades, nos colocando para pensar em processos empresariais e no desenvolvimento de produtos menos esbanjadores dos recursos naturais, menos poluentes e que venham ao encontro da economia circular.

Os investidores vão analisar não apenas os indicadores financeiros e solidez de nossas empresas, como também focar em companhias que estejam alinhadas com as boas práticas ESG, as quais realmente contribuam para a criação de valor nos negócios e, ao mesmo tempo, melhorem seu desempenho e reputação. Justamente a colocação em prática de uma agenda ESG dentro de nossas empresas é que as tornam atrativas e sólidas ao mercado.

Se sua empresa faz, mostre! Se sua empresa tem propósito, demonstre. A modéstia não é mais um ativo.

Temos que entender que aplicar as questões ESG nos proporcionará redução de custos, riscos e obrigações. Uma atuação mais limpa, além do exigido por lei, fará com que o consumidor abra sua carteira e consuma de forma mais benéfica a todos.

Empresas, imprensa, política, militância e consumidores precisam entender que não se trata de termos uma sensação súbita a respeito do tema Economia Verde mais lucrativa, e sim que se trata de um desenvolvimento moderno e apoiado por causas que vão melhorar o lucro final. Trata-se de ampliação de receitas por meio de inovação, novos mercados e novas oportunidades empresariais.

A natureza dos nossos desafios mostra que mudamos de estágio. A mudança climática é global. A magnitude do assunto e persistência torna a situação indiscutível.

A indústria precisa reduzir sua pegada de carbono obtendo, com isso, vantagens em uma produção mais limpa.

Obviamente cada companhia possui suas características próprias, porém se buscarmos aspectos em comum, certamente lograremos em ter benefícios adicionais, melhores atributos ambientais e uma economia mais verde e lucrativa, afinal é uma tendência dominante.

Fica aqui a reflexão: O que isso tem a ver comigo? O que isso tem a ver com minha empresa?

*CRIS BALUTA é  conselheira e coordenadora do GIEMA/SG – Grupo de Intercâmbio e Experiências em Meio Ambiente, Social e Governança Corporativa da Câmara de Comércio e Indústria Brasil-Alemanha (AHK Paraná).

#EconomiaLucrativaEVerde #EconomiaLucrativa #EconomiaVerde #CrisBaluta

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*