Dia dos Pais – Pesquisa mostra hábitos de compra para a data

 

Este é o segundo ano em que mais um Dia dos Pais será comemorado em meio à pandemia.

E se um dia você soubesse que poderia ficar mais de um ano sem ver seus pais? 35% dos brasileiros declararam que estão desde março de 2020 sem encontrá-los pessoalmente. Este é o segundo ano em que mais um Dia dos Pais será comemorado em meio à pandemia. Porém, para 2021 o cenário se torna mais otimista com a vacinação da população brasileira.

41% dos brasileiros acreditam que este ano a celebração será melhor e 57% declararam que seus pais terão recebido as duas doses da vacina até a data. Estas e outras constatações foram feitas pelo Pulso de Dia dos Pais, em estudo realizado pela Hibou– empresa de pesquisa e monitoramento de mercado e consumo – em parceria com a Score Group, empresa de data retail e shopper experience da B&Partners, com participação de 1.098 respondentes de nove capitais.

Desde Março de 2020, com as medidas de isolamento social, além dos 35% dos brasileiros não encontraram seus pais pessoalmente, 24% visitaram mais de 10 vezes desde então; 8% afirmaram terem visto seus pais entre 1 e 5 vezes neste período; 29% convivem todos os dias por morarem com eles e 4% responderam que visitaram entre 5 e 10 vezes.

Vacinação e Comemoração

“Com a vacinação em massa, o cenário está mudando. As visitas, encontros e celebrações presenciais serão mais recorrentes, respeitando, claro, o uso de máscara e álcool gel”, afirma Ligia Mello, sócia da Hibou. “Muitos brasileiros devem passar a data com os pais, por estarem vacinados, o que é uma conquista muito grande para quem estava com saudades e sem visitar há mais de um ano”.

Os encontros passam a se tornar mais frequentes, e 25% afirmaram que o pai estará vacinado, mas preferem tomar todas as precauções possíveis. 25% dos brasileiros ainda não decidiu como vai celebrar a data, mas a maioria pretende comemorar o Dia dos Pais de forma presencial. 24% responderam que, assim como seus pais, também estarão vacinados, por isso, o encontro acontecerá com uma sensação de maior tranquilidade. Já 13% disseram que ainda não terão recebido a vacina, mas os pais já estão imunizados e, portanto, estão confortáveis em manter a visita. Enquanto que 3% revelaram que seus pais não estarão vacinados, mas que passarão o dia juntos, mesmo assim.

Para o próximo domingo, 8 de agosto, 31% dos brasileiros têm a expectativa de que a grande maioria das pessoas já tenham tomado a primeira dose da vacina. Já 29% acreditam que haverá muitas pessoas internadas devido à pandemia e 27% supõem que ainda terão cidades em alertas vermelhos e amarelos motivados pelo coronavírus. Entre os mais otimistas, 17% pretendem abraçar os pais por se sentirem mais seguros quanto ao Covid-19; 14% preveem que a maioria das lojas e restaurantes estarão em pleno funcionamento para compras de presentes e almoços festivos.

Ao comparar os períodos de 2020 e 2021, no ano passado, 23% dos respondentes disseram que iriam comemorar a data na casa dos pais ou sogros; para 2021, 25% seguirão este comportamento. Quanto a receber a família em casa, em 2020, 6% estavam abertos a essa possibilidade, para este ano, são 9%. Em 2020, 8% abriram uma videoconferência na data, agora a expectativa é que isso ocorra para 5%. Há também 16% dos brasileiros que, este ano, ficarão em casa sem receber visitas. No ano anterior, eram 27% que ficaram em casa, apenas com os familiares.

O hábito de compra do brasileiro mudou?

O ticket médio para a compra do presente em 2021 está entre R$50 e R$150 para 32%. Peças de vestuário figuram na primeira posição com 62% das respostas; seguido por calçados, opção para 32% e perfumes para 21%.

O estudo apontou que alguns pais deram suas dicas do que desejam ganhar, então, para 35% o presente será algo declarado pelo pai; 35% escolherão um presente que seja de utilidade para o dia a dia e 12% surpreenderão com um presente inesperado.

Quando questionados sobre a antecedência na compra do presente, 26% disseram que compram logo quando encontram o item perfeito, 16% deixam para comprar na mesma semana da celebração do Dia dos Pais, e 15% fazem a compra de acordo com as economias. 39% pretendem ir a lojas físicas, enquanto 37% optou por lojas virtuais com entrega em domicílio.

Aqueles que optaram às compras online, 49% escolhem os sites de redes de varejo que operam apenas no ambiente digital; 42% optam por Portais de Compra; 37% vão buscar em sites de redes de varejo de shopping; 17% vão diretamente ao site da marca escolhida; 12% optam por pequenos lojistas; 6% buscam pelas redes sociais (loja da marca ou comerciante) e os demais se dividem em apps de delivery (3%); site de hipermercado (3%); redes sociais – anúncio ou post (3%); Google Shopping (1%); grupos de redes sociais (1%); e outros meios (7%).

“O comportamento de consumo foi alterado durante a pandemia. O conforto e segurança de receber as compras em casa foram intensificados e deve se manter no dia a dia das pessoas, mesmo com o fim do isolamento social. Já se observa uma movimentação maior nas lojas físicas, um hábito que tem voltado aos poucos à rotina dos brasileiros. Isso é um ganho para o mercado em geral, principalmente em datas como o Dia dos Pais”, completa Lígia Mello.

Metodologia

1.098 brasileiros de São Paulo, Porto Alegre, Belo Horizonte, Rio de Janeiro, Salvador, Curitiba, Brasília, Recife e Manaus, responderam a pesquisa de forma digital, entre 07 e 09 de julho de 2021, garantindo 95% de significância e 2,96% de margem de erro nos dados revelados. Entre os entrevistados, 35% têm idade entre 36 e 45 anos, 55% são do gênero feminino e 54% têm filhos.

#Hibou
#ScoreGroup
#BEPartners
#pandemia
#DiadosPais

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*