Busca por privacidade muda tendência no mercado hoteleiro

Preocupação do consumidor vem aquecendo vendas de hidromassagens.

A pandemia trouxe mudanças significativas no setor de hotelaria, entre elas, o crescimento do chamado turismo de bem-estar.  Ou ainda o chamado staycation que consiste em aproveitar os passeios e equipamentos turísticos da própria cidade em que se vive.  E isso inclui relaxar em uma hidromassagem com privacidade. Ciente desta tendência, os hotéis tem investido em novos equipamentos e serviços. E com isso, aquecido as vendas de alguns segmentos, entre eles, o de empresas especialistas em banheiras, spas e ofurôs. A Rede de Franquias Riolax, por exemplo, aumentou suas vendas, especificamente, para o setor hoteleiro em 35% no último ano e a perspectiva é ainda melhor para os próximos meses.

“A procura é crescente. Foi de fato uma ampliação de mercado. Antes as hidromassagens ficavam fora dos quartos das pousadas e até em hotéis, agora elas estão dentro. E isso aconteceu por vários fatores, mas o principal deles é que os hóspedes querem ter mais privacidade e, claro, segurança!”. explica o CEO da Riolax, Rodrigo Borges.

Segundo o CEO, os consumidores estão com muita vontade de viajar, mas também bastante preocupado com a questão da saúde. “Enquanto as empresas são mais cautelosas na volta das viagens (a trabalho), a propensão de consumo turístico a lazer pelas famílias parece mais imediata. O que se percebe é que mesmo o cenário não sendo muito favorável, o mercado hoteleiro está realizando novos investimentos de olho nesta retomada gradual”, defende.

MUITO MAIS DO QUE LIMPEZA

Por isso, além da questão da exclusividade, Rodrigo explica que a limpeza também tem sido um questionamento mais presente na hora das compras de SPA. “É uma preocupação bastante natural devido ao momento em que estamos vivendo. Todas as nossas banheiras são de acrílico que, por ter uma superfície mais lisa, torna a limpeza mais fácil, o que proporciona uma maior segurança dos nossos clientes ao adquirir nossos produtos”.

Rodrigo explica também que, ao longo do tempo, algumas banheiras de hidromassagem acumulam restos de sabonete, material biológico e outras impurezas. “Isso acontece em banheiras que não utilizam tubulação rígida. E se antes este ponto não era tão levado em conta, hoje isso é muito questionado”. Ele explica, por exemplo, que a água do banho de um hóspede anterior pode ficar parada nos canos. E, assim, o novo hóspede pode ter contato com aquela água parada na tubulação. “Além disso, a água parada apodrece e causa um cheiro ruim no ambiente”.

No caso dos produtos da Riolax, Rodrigo faz questão de ressaltar que todos os produtos são fabricados com tubulação rígida e curvada, com pvc especial, que permite curvas, desenvolvido estrategicamente para não acumular água. “Desta forma, a água não fica parada. A tubulação é auto-drenante, ou seja, evita aquela barriga na mangueira que acontece com a maioria das marcas nacionais, devido ao tempo de uso e a água quente e fria, permitindo o escoamento d’água retida nas tubulações e no corpo da própria bomba”.

#BuscaPorPrivacidade #Pivacidade #Hoteis #Hidromassagens #MercadoHoteleiro #Riolax #RodrigoBorges

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*