Audição na Terceira Idade: cuidados básicos para mantê-la sempre bem

Quem chega à terceira idade deve estar sempre atento aos problemas que apareceram em seu organismo com o decorrer dos anos, seja o nível de colesterol e triglicérides, o diabetes e, principalmente, se sente tontura ou não. Tudo vai influenciar na audição e ela é a garantia de interação com todos os familiares. Portanto, cuidado! 
Há cuidados que podem ajudar a manter a audição em bom nível para todos.

Segundo o o Prof. Dr. Robinson Koji Tsuji (FOTO), há cuidados que podem ajudar a manter a audição em bom nível para todos.

A idade chegou e com ela, problemas auditivos que os idosos insistem em dizer que não possuem. “É normal que a audição diminua com o decorrer dos anos e é preciso estar atento para isso. Mas há cuidados que podem ajudar a manter a audição em bom nível para todos”, diz o Prof. Dr. Robinson Koji Tsuji, otorrinolaringologista e professor voluntário do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo.

O primeiro cuidado que se deve ter, segundo o médico, é o relacionado a problemas que aparecem no decorrer da vida. “Os cuidados em manter o nível de triglicérides, colesterol e o diabetes sempre controlado são essenciais. E verificar como está o funcionamento da tireoide. Qualquer alteração vai modificar a audição e pode surgir sintoma como zumbido, que alerta para a surdez”, continua ele.

Outra atenção especial que se deve ter é com os medicamentos que tomam. “Diuréticos e medicamentos ototóxicos como os que são da família da gentamicina também podem provocar perda auditiva e são remédios que os idosos tomam receitados para normalizar a pressão arterial ou em caso de infecções. Mas sempre deve ser lida a bula para estar ciente dos efeitos colaterais”, continua o Dr. Koji.

Um terceiro cuidado deve ser tomado pelos idosos. “Não manipule o conduto auditivo com unhas compridas ou coloque qualquer objeto dento do ouvido para a sua limpeza. Hastes flexíveis, canetas, lápis tudo isso é proibido. A limpeza deve ser feita com água e sabonete, na hora do banho e a secagem deve acontecer com toalha. Caso a pessoa sinta que o ouvido ainda está úmido, utilize um secador de cabelo para terminar de secar. Todo cuidado é pouco em relação ao tímpano que pode ser perfurado com qualquer um desses itens destacados acima”, comenta.

Atenção aos filhos e netos

O idoso também deve prestar atenção se acha que seus filhos e netos estão falando baixo ou “para dentro”. Ou ainda se sentem a necessidade de aumentar sempre o volume da televisão e do rádio. “Quando isso acontecer, procure um otorrinolaringologista. A audição é o sentido que garante interação com os familiares, amigos e com companheiros – ou antigos amigos – de trabalho. É sinal que a perda auditiva está acontecendo e quanto maior o tempo de surdez, mais difícil torna-se o tratamento”, alerta o Dr. Koji.

Quando isso acontece, o idoso passa a se isolar. “A tendência é diminuir a interação com os familiares, começar a falar sozinho e pode acelerar a demência. A audição é um sentido extremante importante e deve ser cuidada para garantir, inclusive, a independência no final da vida”, diz o otorrinolaringologista.

“É muito importante que o idoso, quando usar o aparelho auditivo convencional, não abandoná-lo na gaveta. É necessário fazer uso diário, contínuo para não perder a memória e participar das conversas em família. E não adquirir em loja. É preciso testar o aparelho antes e a indicação do otorrinolaringologista juntamente com a fonoaudióloga é essencial. O aparelho auditivo convencional faz com que muitos idosos retomem o convívio social e ajudam o idoso se manter ativo”, finaliza o especialista.

Comments are closed.