Saiba como manter a alimentação equilibrada e nutritiva no verão

Profissionais da Sodexo On-site Brasil alertam para os cuidados em relação às refeições em tempos de pandemia, altas temperaturas, armazenamento e higienização dos alimentos

O verão é o momento de manter uma alimentação nutritiva e equilibrada.

Com as altas temperaturas nos primeiros meses do ano, junto com o cenário de pandemia provocada pela Covid -19, é o momento de redobrar a atenção aos cuidados com a saúde. Principalmente quando falamos em manter uma alimentação nutritiva e equilibrada para melhorar o sistema imunológico, além da preocupação com a higienização dos alimentos.

Com o objetivo de levar sua expertise em alimentação para incentivar melhorias no bem-estar das pessoas, a Sodexo On-site, líder em serviços de Qualidade de Vida por meio de serviços de alimentação e facilities, reuniu seu time de especialistas, nutricionistas e chefs e prepararam um e-book com diversas dicas de nutrição, saúde e bem-estar, que reforçam a importância de refeições balanceadas e nutritivas para a saúde e proteção do corpo, além de orientações para intensificar a higienização dos alimentos, confira algumas delas:

1 – Alimentação durante o verão

Ao contrário do inverno, estação em que é comum sentir mais fome, as temperaturas elevadas podem inibir o apetite. É comum que a maior parte das pessoas não consiga seguir uma alimentação balanceada e nutritiva, composta de proteínas, carboidratos, gorduras boas, fibras, vitaminas e minerais.

“Para montar uma refeição saudável que ajude na proteção do corpo, é importante lembrar que um prato equilibrado deve ser composto 50% por vegetais crus e cozidos, 25% de proteínas, como carnes, peixes, ovos, entre outros, e 25% de carboidratos, de preferência integrais. Na sobremesa, pode-se optar por frutas”, explica a coordenadora do projeto Francisca Silva, nutricionista da Sodexo On-site Brasil.

2 – Saúde e equilíbrio

Para evitar um possível desequilíbrio na alimentação, é recomendado evitar longos períodos em jejum. “Uma dica é fazer um lanche saudável, como um snack de castanhas caramelizadas com açúcar de coco, antes de sair de casa, pois isso ajuda nas escolhas e no consumo moderado dos alimentos”, sugere a nutricionista Claudia Musa.

Para colorir e enriquecer os pratos, as saladas são ótimas opções. Além de serem ricas em nutrientes, elas ajudam a aumentar a saciedade e melhorar o processo digestivo. Durante a escolha das proteínas, as carnes magras devem ser priorizadas, sempre retirando as gorduras. As receitas você pode conferir a partir da página 18 do e-book.

Outro ponto importante é a hidratação. Nos dias quentes também ocorre maior perda de líquidos e minerais, devido ao aumento da temperatura corporal e transpiração excessiva. Por isso, a necessidade de se hidratar, para que todo líquido perdido seja reposto. “Nesse período, a ingestão de bebidas alcoólicas deve ser controlada e intercalada com água e outras bebidas não alcoólicas, como sucos naturais com as frutas da época”, conclui Claudia.

3 – Vitaminas e minerais para uma alimentação nutritiva

Neste ano atípico, a alimentação equilibrada tornou-se ainda mais importante e essencial para reforçar a imunidade. Entre os nutrientes necessários para a manutenção do sistema imunológico, estão:

– Vitamina A – Pode ser encontrada em cenouras, batata doce, folhas de brócolis, manga, couve fígado, gema de ovo, leite e derivados.
– Vitamina C – Kiwi, goiaba, brócolis, frutas cítricas, frutas vermelhas, talos de couve e salva.
– Vitamina D – Peixes, ovos, lácteos, fígado e cogumelos.
– Vitamina E – Azeite de oliva extravirgem, castanhas, avelã, semente de girassol e abacate.
– Zinco – Camarão, peixe, fígado, sementes, castanhas, grãos integrais e cereais.
– Ômega 3 – Peixes, castanhas, amêndoas, nozes, sementes e linhaça.
– Prebióticos* – Trigo, cebola, banana, mel, alho e raiz de chicória.
– Potássio – Ameixa, frutos do mar, amêndoas, acelga e amendoim.

*Bactérias do bem (probióticos) localizadas em nosso intestino formam uma barreira contra muitos organismos agressores de nosso organismo. Essas bactérias por sua vez se alimentam de fibras alimentares (prebióticos) presentes em frutas, legumes, verduras, aveia e outros cereais integrais. Por isso é fundamental consumir alimentos in natura ou minimamente processados, que oferecem um teor maior de fibras. São prebióticos os compostos com o FOS – frutooligossacarídeos (presente na agave-azul, batata yacon, alho, cebola, banana e tomate, entre outros) e a inulina (encontrada em alimentos como chicória, alho, cebola, inhame, banana e outros). Sobre os alimentos classificados como probióticos, são aqueles que contêm os microrganismos do bem. Estão presentes em iogurtes, kefir e alimentos fermentados, como os pães feitos com levain (fermentação natural).

4 – Compras e higienização de alimentos

Antes de ir ao mercado, a dica é fazer uma lista dos itens necessários para ajudar a combater o desperdício e não cair em promoções de produtos que não serão utilizados.

“Para a higienização, as embalagens devem ser lavadas com água e sabão ou limpas com álcool 70% antes de serem guardadas no armário ou na despensa. Frutas, legumes e verduras devem ser lavados em água corrente e higienizados com uma solução clorada, que deve ser diluída conforme as instruções do produto”, explica Francisca.

5 – Atenção ao rótulo dos alimentos

Ficar de olho nos rótulos dos alimentos também faz parte da construção do hábito de manter uma alimentação equilibrada. Conhecer o que há por dentro da embalagem facilita a decisão no ato da compra.

Nas novas regras de rotulagem nutricional, a embalagem deve conter um símbolo informativo na parte da frente do produto, esclarecendo de forma clara e simples, sobre o alto teor de nutrientes que têm relevância para a saúde.

O material completo com todas as dicas e receitas nutritivas podem ser baixados no link do e-book

#SodexoOnsiteBrasil

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*