Reconstruindo e recriando imaginários: De “Menino 23” a “Desfazenda”

Roberta Estrela D’Alva e Lucas Moura,  diretora  e dramaturgo da peça-filme, recebem o diretor de Menino 23, Belisário Franca,  e o historiador  Sidney Aguillar para uma conversa no YouTube do grupo O Bonde; encontro virtual vai discutir temas expostos em Desfazenda – Me enterrem fora desse lugar.

Desfazenda é livremente inspirada em história real, descrita no documentário “Menino 23 – Infâncias perdidas no Brasil”.

Na próxima quarta-feira, dia 7 de julho, às 21h, após a exibição de Desfazenda – Me enterrem fora desse lugar, Roberta Estrela D’Alva e Lucas Moura, diretora  e dramaturgo da peça-filme, recebem o diretor Belisário Franca e o historiador  Sidney Aguillar para uma conversa.

Desfazenda é livremente inspirada em história real, descrita no documentário “Menino 23 – Infâncias perdidas no Brasil”, dirigido por Franca, que parte da descoberta de tijolos marcados com suásticas nazistas em uma fazenda no interior de São Paulo.

O  assunto foi tratado pelo pesquisador Sidney Aguilar em sua tese de doutorado “Educação, autoritarismo e eugenia = exploração do trabalho e violência à infância desamparada no Brasil (1930-1945)”. No texto, Aguillar  relata sobre os 50 meninos negros levados de um orfanato no Rio de Janeiro para uma fazenda – aquela onde os tijolos foram encontrados – e submetidos a trabalhos forçados, isolamento social e castigos físicos por três irmãos que faziam parte da Ação Integralista Brasileira, partido de extrema direita de ideário fascista e nazista.

Roberta e Lucas conversam com os convidados sobre os processos de pesquisa e criação do documentário, entrecruzando-os com os caminhos de criação ficcional da peça- filme.

A temporada de “Desfazenda – Me enterrem fora desse lugar” segue até dia 11 de julho, com sessões gratuitas (os ingressos devem ser reservados na plataforma Sympla no link https://www.sympla.com.br/eventos?s=desfazenda&tab=eventos&ordem=date.

Em Desfazenda – Me enterrem fora desse lugar  as personagens 12, 13, 23 e 40 são quatro pessoas pretas salvas da guerra por um Padre Branco quando crianças. Desde então vivem na fazenda deste Padre, cuidando das tarefas diárias, supervisionadas por Zero, figura enigmática, central e onipresente, embora sempre ausente. O Padre nunca sai da capela, a guerra nunca atingiu a Fazenda e quando os porquês são questionados, o sino toca e lembra que é hora da oração ou do trabalho. Até que um estranho vulto chega à Fazenda e muda os ventos, o mudo silêncio é quebrado e de dentro da capela o segredo é revelado.

Enquanto buscam entender a situação na qual se encontram, em meio às memórias, as personagens apresentam problemáticas que costumam ser comuns no processo de entenderem-se como pessoas negras no Brasil: a assimilação do ideário do embranquecimento, a busca de autoestima e autoaceitação, a falsa promessa de um dia pertencer igualitariamente ao “mundo dos brancos”, a nascente pulsão de revolta contra conceitos estabelecidos e restrições impostas, além das questões imbricadas de gênero e raça.

SERVIÇO:

Desfazenda – Me enterrem fora desse lugar

Encontro virtual com o historiador Sidney Aguilar e o diretor Belisario Franca

Mediação: Roberta estrela D’Alva e Lucas Moura

Dia 7 de julho de 2021, às 21h

no canal do YouTube do grupo O Bonde (youtube.com/OBondee)

Temporada de apresentações:

De 30 de junho a 11 de julho de 2021

Duração total: 70 minutos | Classificação Indicativa: 12 anos | Grátis.

Os ingressos são limitados e devem ser reservados no link https://www.sympla.com.br/eventos?s=desfazenda&tab=eventos&ordem=date

1ª semana (30 de junho a 04 de julho)

Quarta e quinta-feira às 20h; sexta-feira a domingo às 20h e às 23h (duas sessões)

2ª semana (07 a 11 de julho)

Quarta-feira às 20h; quinta-feira a domingo às 20h e às 23h (duas sessões)

Mais informações nas redes sociais d’O Bonde:

Facebook.com/coletivoobonde

Instagram @0__bonde

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*