Quatro vinhos raros que você encontra na Zona Leste de São Paulo

Pêra-manca, Corte de Cima, Chablis e Mouchão são algumas das opções da bebida para paulistanos no Anália Franco.

Vinho é uma bebida clássica, que pode acompanhar jantares a dois, encontros de amigos e outras celebrações. A bebida é capaz de fazer bem à saúde, se consumida moderadamente, como prevenir doenças e contribuir para uma maior expectativa de vida.

Para aqueles que são apaixonados por vinhos, a região do Anália Franco possui ótimas opções para você degustar bons e raros vinhos. O maior restaurante de culinária mediterrânea da região, o Marettimo, conta com quatro vinhos mais incomuns e auxílio para boas harmonizações com pratos.

Veja a seguir as indicações de Francisco das Chagas Alves de Souza, gerente da Casa.

Macio, seco com um bom corpo e um ligeiro acídulo nobre, o Pêra-Manca é um português da safra de 2015.

1. Pêra-Manca

O vinho branco Pêra-Manca possui um aroma com notas minerais, frutado, persistente, fino e complexo. Macio, seco com um bom corpo e um ligeiro acídulo nobre, o vinho português é da safra de 2015 e considerado especial pela simplicidade e dentre os vinhos brancos portugueses é o mais conhecido mundialmente.

Para uma harmonização perfeita com o vinho Pêra-Manca, que existe há mais de 500 anos, Souza afirma “casaria perfeitamente com nossos pratos de Lagosta ou Bacalhau”.

2. Corte de Cima

O Corte de Cima, também português, é um vinho tinto seco e apresenta potencial para envelhecer até 10 anos na garrafa. Tom fortificado estruturado, marcante, que não some da boca é indicado harmonizar com pratos estruturados, como o Bacalhau à Lagareiro, que são postas de bacalhau douradas no azeite, acompanhadas de batatas ao murro, alho, cebola, brócolis, tomate, azeitonas e arroz, servidos no Marettimo.

3. Chablis

O vinho francês é referência mundial quando o assunto é sua forma mais pura, sem aquela manteiga, fruta tropical doce e potência alcóolica que geralmente se encontra no Novo Mundo, a fim de mascarar as verdadeiras qualidades desta uva.

A harmonização casa perfeitamente com frutos do mar e pratos que possuem derivados de queijo. “O Chablis é um vinho branco muito fresco com um toque elegância, bebida perfeita para combinar com o Camarão à Marettimo, que é camarão ao molho de creme de leite e curry, acompanhado de arroz de amêndoas”, indica Souza.

O português Mouchão é um vinho bem estruturado, que vai bem com a carne de cordeiro.

4. Mouchão

Complexo e fino, de compotas de frutos vermelhos e especiarias, o português Mouchão é um vinho tinto seco bem estruturado, que vai bem com a carne de cordeiro. “O prato de Paleta de Cordeiro ao molho do chef, acompanhado de arroz e feijão branco é perfeito para harmonizar com o Mouchão”, sugere Souza.

Além dos vinhos especiais citados acima, um dos destaques do Marettimo é o espaço da adega que conta com mais de 80 rótulos, entre nacionais e estrangeiros, renomados e de alto valor, de oito países como, Espanha, Portugal, Itália, Argentina, Chile, entre outros.

Os vinhos são bastante sensíveis a variações extremas de temperatura, por isto, o local de armazenamento deve possuir temperatura e umidade corretas. “O importante é sempre manter os vinhos saudáveis com ocuidados especiais, além de temperatura e umidade, para não correr o risco de perdê-los” finaliza Souza, citando os cuidados especiais com a adega do Marettimo.

SERVIÇO:

O Marettimo é um restaurante recém-inaugurado no Anália Franco, em São Paulo. A Casa conta com capacidade para até 300 pessoas, uma adega com mais de 80 rótulos de vinhos, além de estar ao pé do Parque Ceret, um dos mais conhecidos da zona leste da capital. Mais informações www.marettimo.com.br

#Marettimo #FranciscodasChagasAlvesdeSouza #vinhosraros #vinhos

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*