Luxo de clientes no varejo físico de 2016 teve retração de 12% em relação a 2015

Estudo da Seed Digital analisou o movimento de clientes em lojas de rua e shopping centers.

Estudo da Seed Digital analisou o movimento de clientes em lojas de rua e shopping centers.

De acordo com o ISV (Índice Seed de Varejo), levantamento realizado pela Seed (www.seeddigital.com.br), empresa de inteligência destinada ao varejo físico, o fluxo de visitantes no varejo físico em 2016 teve uma retração de -12% em relação a 2015.

O estudo identificou que o movimento nas lojas de rua teve uma queda de 11,37% em comparação ao ano anterior (2015 X 2016). As lojas de rua começaram 2016 com um recuo de 21,79% e finalizaram o ano com a melhor performance em dezembro, com alta de 21,10%, impulsionadas pelo movimento de compras do Natal.

Já nos shopping centers, o fluxo caiu 11,92%. O setor começou 2016 com uma queda muito maior em relação às lojas de rua (32,22%) e também teve alta em dezembro, com um aumento de 51,40%.

“O movimento no varejo físico teve uma queda representativa comparado a 2015. Percebemos que a crise que assolou o País em 2016 também afetou o movimento no varejo”, diz Henrique Brandão, Insights Manager da Seed Digital

Natal 2016

O estudo também identificou o aumento do fluxo no comércio durante a semana que antecede o Natal, uma das datas mais esperadas do varejo físico. A Seed mediu diversos períodos do mês de dezembro e identificou que os dias que apresentaram os maiores picos foram sábado, dia 17 e sexta, dia 23 de dezembro. Ainda de acordo com a Seed Digital, a semana que antecedeu o Natal (19 a 24 de dezembro) de 2016 correspondeu a 27% do fluxo total de clientes do mês de dezembro.

Metodologia do levantamento

O “Índice SEED de Varejo”, que analisa o fluxo de pessoas em lojas de rua e shopping, é calculado automaticamente por meio da ferramenta da SEED Digital implantada em seus clientes. A tecnologia da empresa, que conta com sensores de contagem de pessoas nas entradas dos estabelecimentos, permite uma série de análises baseadas na contagem de pessoas que entram nas lojas. Os números apresentados no levantamento são a consolidação das informações dos clientes, agrupados entre lojas de shoppings e lojas de rua, apresentando informações consolidadas sobre eletroeletrônicos, perfumaria, brinquedos, ótica, moda e artigos esportivos.

Por meio da contagem de pessoas é possível identificar os períodos com maior e menor movimento ao longo dos dias e horários. A ferramenta calcula informações como: número de visitantes por hora, horários de pico e baixa e faz a comparação de fluxo analisando os períodos.

Deixe um comentário

*