Bureau Veritas deve inspecionar mais da metade da safra de soja 2022/2023

Grupo indica aumento das áreas de cultivo, investimento em tecnologia e condições climáticas favoráveis como fatores-chave para consolidação da projeção do mercado de alta de 18% sobre a safra anterior.
Guilherme Cauduro, diretor de Agronegócio, Food & Commodities do Bureau Veritas.

O Bureau Veritas, líder mundial em Teste, Inspeção e Certificação (TIC), se prepara para inspecionar um volume significativo da Supersafra de Soja 2022|2023 em toda a sua cadeia produtiva, do pré-plantio à exportação. Considerada pelo mercado como a maior safra da história do país, a colheita do grão deve ser 18% maior que a do ano anterior. O Grupo aponta condições climáticas favoráveis em quase todas as áreas de produção de soja do Brasil, aumento da área de plantio e investimento em tecnologia para otimização dos processos, como os principais fatores da alta produtividade.

“O Bureau Veritas está presente em todos os corredores logísticos das commodities agrícolas do país, assegurando a qualidade dos produtos do campo à mesa. Anualmente, somos responsáveis por inspecionar cerca de 58% das exportações de soja e, em 2023, ampliaremos nossa atuação não apenas nos principais portos brasileiros, como também na colheita, armazéns e terminais de transbordo do interior”, afirma Guilherme Cauduro, diretor de Agronegócio, Food & Commodities do Bureau Veritas.

O Bureau Veritas atua desde a verificação das sementes na origem, monitoramento da cultura, classificação dos grãos armazenados até a inspeção das cargas exportadas. Os especialistas do Grupo seguem rígidos protocolos de inspeção e análises, baseados em normas internacionais, auxiliando na mitigação de riscos na comercialização de soja em grão, farelo e óleo. Até o final de 2023, serão inspecionados produtos na origem (FOB), nos terminais de transbordo do interior e mais de 50% dos grãos escoados pelos principais portos do país.

SUPER SAFRA

A estimativa para a chamada Supersafra de Soja 2022|2023 é de 153 milhões de toneladas, quase 28 milhões de toneladas a mais que a safra anterior, segundo a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab). A produtividade, mensurada em sacos por hectare (sc/ha), também cresceu. Segundo o Agroconsult, a média brasileira é de 59 sc/ha, um aumento de 13% em relação a 2021/2022, com destaque para os estados da Bahia, 69 sc/ha, Minas Gerais, 65 sc/ha, e Mato Grosso, 64 sc/ha.

O otimismo do mercado se baseia principalmente no aumento das áreas de cultivo e nas condições climáticas favoráveis. A regularidade pluvial, por exemplo, beneficiou a fase de plantio em estados que normalmente sofrem com a estiagem, e vem estimulando o vigor vegetativo, com melhor florescimento e enchimento de grãos. O uso de novas tecnologias e automação de processos também são fatores que influenciam na consolidação da supersafra e o desafio, porém, é a otimização dos centros de armazenamento para poderem acompanhar o ritmo de produção das lavouras.

Presente em todos os principais estados produtores de soja, milho, algodão e açúcar, o Bureau Veritas é responsável pela inspeção de grande parte dos grãos produzidos no país, sendo o líder de mercado em Testes, Inspeções e Certificações de commodities agrícolas no Brasil. O Grupo gera mais de 2.000 empregos durante o pico das colheitas e investe continuamente na infraestrutura dos principais terminais em que atua para aperfeiçoar e otimizar a sua operação, contribuindo para o desenvolvimento do setor agrícola.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*