Turismo faturou 3,7% a mais entre julho a setembro 

Desempenho no terceiro trimestre foi puxado pelos meios de hospedagem, com alta de 7,2% e pelo receptivo turístico, com 6,6%. Copa do Mundo influenciou o bom rendimento do setor.
Os empresários atribuíram o aquecimento dos negócios ao aumento da demanda por hospedagem de brasileiros.

Os empresários atribuíram o aquecimento dos negócios ao aumento da demanda por hospedagem de brasileiros.

A hotelaria foi o segmento que teve o maior aumento médio de faturamento no terceiro trimestre deste ano. Os meios de hospedagem avançaram 7,2% em relação ao período de julho a setembro do ano passado, quase o dobro do crescimento médio dos sete setores pesquisados pelo Ministério doTurismo (3,7%). Os números são do Boletim de Desempenho Econômico do Ministério do Turismo, feito em parceria com Fundação Getúlio Vargas. Foram ouvidos 553 empresas que empregam 77,8 mil pessoas e faturaram R$ 8,8 bilhões no trimestre.

Os empresários atribuíram o aquecimento dos negócios ao aumento da demanda por hospedagem de brasileiros, responsáveis por 83% da ocupação de leitos nos três meses avaliados. O impacto positivo foi influenciado pelos últimos 13 dias da realização da Copa do Mundo. As perspectivas para o último trimestre do ano também são de expansão, devido ao aquecimento do mercado doméstico de viagens no período de férias e festas de fim de ano.

Para o ministro do Turismo, Vinicius Lages, os números confirmam os bons resultados do turismo em 2014. “A realização da Copa no país e a visibilidade que o Brasil alcançou com o evento foram essenciais para o bom resultado”, lembra o ministro Lages. Os números do estudo também são confirmados pela Sondagem do Consumidor, estudo do Ministério do Turismo que mediu a intenção de viagem do brasileiro pelos próximos seis meses, tendo como base o mês de outubro. Foi a maior intenção de viagem do ano, com 31,6% dos entrevistados confirmando o desejo de viajar.

O turismo receptivo foi outro segmento que apresentou um aumento médio no faturamento de 6,6%, seguido pelas agências de viagem com 5%. De forma geral, os empresários do setor destacaram que entre os fatores responsáveis desempenho das empresas estão a maior divulgação dos atrativos e roteiros, e também pelos investimentos feitos. Já como limitadores do aumento no faturamento estão questões como os custos operacionais e o acirramento da competição.

O Boletim de Desempenho Econômico do Turismo, realizado pela FGV, avalia empreendimentos de sete segmentos do setor de turismo: meios de hospedagem, turismo receptivo, agências de viagens, transporte aéreo, organizadores de eventos, parques e atrações turísticas, e operadores de turismo.

Deixe um comentário

*