Presidente da Embratur defende aproximação com o setor privado

Em entrevista à Agência Brasil, Vicente Neto informou que a instituição vai debater ideias de reestruturação da Embratur, visando finalizar uma proposta até março. 

Vicente Neto:  parceria público-privada sem retrocessos trabalhistas.

Vicente Neto: parceria público-privada sem retrocessos trabalhistas.

O presidente da Embratur (Instituto Brasileiro de Turismo), Vicente Neto, destacou hoje pela manhã, em entrevista concedida à Agência Brasil, que o projeto de reformulação da Embratur será apresentado ao governo federal até março de 2015 e que com um modelo mais ágil e aberto facilitaria parcerias com o setor privado. 

“Esse novo modelo permitirá fazer mais com menos”, afirma. “Já que possibilitará parcerias do governo com o setor privado, entrando com recursos para ajudar na promoção, como já acontece em outros países”. 

“Se eu participo de uma feira que custa R$ 600 mil, e convido o setor privado a colocar a metade. Essa possibilidade de parceria público-privada pode garantir mais agilidade e visibilidade”, exemplificou. 

Ajustes para permitir parcerias

A discussão do que será apresentado ao Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão considera as hipóteses de manter a Embratur como autarquia, com ajustes que permitam parcerias com o mercado; transformá-la em empresa pública, como já foi no passado. Outra forma de melhorar, segundo Vicente, seria mudar sua natureza jurídica para empresa pública mista ou empresa pública não estatal, nos moldes da Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh). 

“A primeira ideia é a mais rápida, por não requerer discussões no Poder Legislativo, e a última aproximaria a Embratur de experiências como a da agência de promoção norte-americana Brand USA, que divide investimentos com o setor privado de igual para igual”, ressaltou. Segundo o presidente da Embratur, os servidores do órgão também vão elaborar uma proposta, e consultas jurídicas estão sendo feitas para buscar um modelo híbrido, que favoreça a parceria público-privada sem trazer retrocessos trabalhistas. 

Vicente Neto disse à Agência Brasil que a Embratur cumpriu sua função na promoção do País na Copa do Mundo, e também tem bom desempenho nos preparativos para as Olimpíadas do Rio de Janeiro, em 2016. Apesar disso, considera que é necessário modernizar a instituição para garantir o crescimento contínuo do fluxo de turistas após os Jogos Olímpicos e Paraolímpicos. “Temos muita convergência em relação a esse assunto dentro da Embratur e com o Ministério do Turismo. Todos concordamos com a necessidade de reformulação”, disse Vicente Neto.

Deixe um comentário

*