Ministros formalizam parceria para inovação no turismo

Por Amanda Lavor

Acordo assinado nesta quinta-feira trata da criação de bolsas de estudos e fomento à pesquisa.

Acordo assinado nesta quinta-feira trata da criação de bolsas de estudos e fomento à pesquisa.


Os ministros do Turismo, Vinicius Lages, da Ciência, Tecnologia e Inovação, Clelio Campolina e o presidente do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), Glaucius Oliva, assinaram nesta quinta-feira (11) um protocolo de intenções para o desenvolvimento de uma agenda de inovação que promova a pesquisa científica e tecnológica no setor turístico.

O documento formaliza a parceria entre os ministérios e o CNPq para a criação de bolsas para pesquisadores da temática de turismo e inovação no Brasil e no exterior, com abrangência para estudantes de diversos campos do conhecimento. “O turismo é capaz de aprimorar, através da inovação, a produtividade, a eficiência e a oferta turística brasileira”, disse o ministro Vinicius Lages. “Precisamos reforçar o conceito de cidades inteligentes enquanto destinos turísticos inteligentes”, reforçou.

O protocolo de intenções também garante ações de fomento às redes de observatórios de turismo, à pesquisa e ao empreendedorismo inovador, através de incubadoras e startups tecnológicas ligadas aoturismo.

Além disso, o documento trata do apoio ao desenvolvimento de tecnologias da informação ligadas aoturismo, como softwares, aplicativos mobile, difusão do conhecimento através de publicações de livros e estudos, além da premiação de trabalhos científicos.

O ministro Campolina reforçou que as estruturas produtivas estão sempre mudando, por isso é importante acompanhar essa transição permanentemente, principalmente na esfera turística. “Uma iniciativa como esta vai permitir alavancar as bases científicas e universitárias para pensar soluções para o turismo”, disse.

O presidente do CNPq ressaltou que a o impacto da ciência e da tecnologia é transversal a todas as áreas do governo. “Estamos focando em temáticas e objetos de estudos específicos de cada ministério, procurando trazer a comunidade científica e tecnológica para estudar e propor soluções nos temas que são relevantes para cada uma das áreas”, disse Glaucius Oliva.

Deixe um comentário

*