Mães Brasileiras: beleza, lazer e mercado de trabalho são os interesses que mais crescem de acordo com a Ipsos

Pesquisa revela ainda que número de mães solteiras diminuiu nos últimos dois anos e preocupação com influência dos meios de comunicação sobre família é grande. 

Pesquisa revela ainda que número de mães solteiras diminuiu nos últimos dois anos e preocupação com influência dos meios de comunicação sobre família é grande.

Cuidados com estética pessoal, lazer, educação e mercado de trabalho são os interesses que mais crescem entre as mães brasileiras. Além disso, o número de mães solteiras caiu nos últimos três anos – de 21% em 2012 para atuais 18% – e a preocupação com a influência de meios de comunicação sobre a família cresceu. Estes são alguns dos resultados da pesquisa realizada por Ipsos Connect – unidade de negócios que coordena os serviços voltados para a área de Comunicação de Marca, Propaganda e Mídia da Ipsos – realizada em 13 mercados brasileiros.

Entre os interesses pessoais das mais de 9 milhões de mães brasileiras abordadas pela pesquisa, cresceram significativamente: beleza e cuidados com estética que são importantes para 75% das mães, educação (71%), lazer e entretenimento (66%), decoração (60%) profissão e mercado de trabalho (52%), vida de famosos e celebridades (49%).

Para Diego Oliveira, Diretor da Ipsos Connect, “os dados delineiam um perfil da mãe brasileira, de 18 a 44 anos com 88%, como guerreira, batalhadora e otimista, além de se preocuparem com a vida pessoal, presença com os filhos e acreditando que a vida está melhor do que tempos atrás.”

Em relação a atitudes e comportamentos, os dados revelam uma crescente preocupação com a influência da TV na formação da opinião pública: 88% das mães entrevistadas têm esta preocupação. A crise hídrica nacional mobiliza 86% das mães que buscam economizar água, gás e eletricidade. Em relação à internet, 86% também não conseguem se imaginar sem acesso à rede. O voto responsável e consciente e a religião como um valor fundamental estão presentes na fala de 76% das mães.

Deixe um comentário

*