Light tem lucro líquido de R$ 129 milhões no 1º trimestre de 2015

Perdas não-técnicas atingem 39,88%. Consumo na área de concessão cresceu 0,6%. 
Esse resultado se deve, principalmente, pelo repasse, na tarifa, dos custos com a compra de energia.

Esse resultado se deve, principalmente, pelo repasse, na tarifa, dos custos com a compra de energia.

A Light S. A., holding que atua nos segmentos de distribuição, geração e comercialização de energia elétrica, obteve um lucro líquido deR$ 129 milhões no primeiro trimestre de 2015, uma redução de 28,8% em relação ao mesmo período do ano anterior (1T14), em função de o resultado financeiro consolidado apresentar valor desfavorável em 125,9%, explicado, principalmente, pela elevação da taxa básica de juros, já que 71,4% da dívida da companhia são atrelados ao Certificado de Depósito Interbancário (CDI). No mesmo período, a Light totalizou receita líquida consolidada de aproximadamente R$ 2,9 bilhões, representando um crescimento de 40,3% ante o primeiro trimestre de 2014. Esse resultado se deve, principalmente, pelo repasse, na tarifa, dos custos com a compra de energia. 

O EBITDA (lucro antes de impostos, depreciação e amortização) chegou a R$ 494,4 milhões, 9,2% acima do apurado no primeiro trimestre de 2014, explicado, principalmente, pelo aumento de 17,8% no segmento de distribuição e de 129,7% no segmento de comercialização e serviços. O consumo total de energia na área de concessão da Light cresceu 0,6% relação ao primeiro trimestre de 2014, chegando a 7.422 GWh. Os fatores que influenciaram o alcance deste valor foram, principalmente, os crescimentos de 3,7% e 2,0% nos segmentos comercial e residencial, respectivamente. 

As perdas não-técnicas totais da Light, calculadas sobre o mercado de baixa tensão, foram reduzidas em 1 p.p. em relação ao quarto trimestre de 2014 (4T14), atingindo 39,88% em Março de 2015. Para potencializar futuras reduções neste índice, a Light vem investindo em processos convencionais de inspeções de fraudes, modernização de rede e sistemas de medição. Foram feitas 14.824 normalizações de clientes e o numero total de medidores eletrônicos instalados chegou a 655 mil. Essas atividades proporcionaram, um montante de 39,2 GWh em energia recuperada e de 46,5 GWh em energia incorporada. 

No Projeto Light Legal, que consiste em selecionar pequenas áreas de 10 a 20 mil clientes onde atuam microempresas voltadas exclusivamente para a melhoria dos indicadores de perdas e inadimplência, a companhia de energia chegou a 37 áreas atendidas, abrangendo 653 mil clientes. Desde o início do projeto, as áreas já inauguradas vêm apresentando uma redução média de perdas não técnicas, sobre o faturamento de baixa tensão, de 32 p.p., e aumento médio na arrecadação de 7 p.p. 

Os indicadores de qualidade operacional da Light apresentaram melhoras sensíveis no período. A Duração Equivalente de Interrupção (DEC) somou 13,20 horas, 15,1% a menos que no primeiro trimestre de 2014, e a Frequência Equivalente de Interrupção (FEC) chegou a 6,70 vezes, resultado 11,8% inferior se comparado com o mesmo período do ano anterior. 

Investimentos 

No primeiro trimestre de 2015, o total investido pela Light somou R$ 170,6 milhões. O segmento de distribuição concentrou o maior volume aplicado, totalizando R$ 159,4 milhões, com destaque para o desenvolvimento de redes de distribuição e expansão, aumento de robustez e melhoria na qualidade do fornecimento de energia e para o projeto de combate às perdas de energia,

SERVIÇO: 

Mais informações podem ser obtidas no site de Relações com Investidores da Light, no link: http://ri.light.com.br/

Deixe um comentário

*