Leituras de peças mexicanas revelam liberdade e diversidade sexual e de gênero na sociedade

O programa pretende aproximar a comunidade, artistas e acadêmicos no espaço público para um encontro de apreciação teatral.

O programa pretende aproximar a comunidade, artistas e acadêmicos no espaço público para um encontro de apreciação teatral.

O Teatro da USP e o Museu da Diversidade apresentam, de 09 a 23 de janeiro de 2015, o Programa TUSP de Leituras Públicas com o tema Diversidade no Teatro Mexicano Contemporâneo. O ciclo especial é gratuito e será realizado gratuitamente na sede do museu (metrô República), às sextas-feiras, às 17h.

O Programa de Leituras Públicas faz parte dos Núcleos de Experiência e Apreciação Teatral do TUSP e propõe, a cada ciclo, a leitura de peças de diferentes autores pelos presentes em encontros abertos com a mediação da equipe artística.

O programa pretende aproximar a comunidade, artistas e acadêmicos no espaço público para um encontro de apreciação teatral. Diferente de uma leitura dramática, a ideia da leitura pública é somar as singularidades dos participantes a partir do estímulo do texto teatral selecionado.

Neste ciclo “Diversidade no Teatro Mexicano Contemporâneo” selecionamos textos da nova geração de criadores mexicanos que capturaram em tons e momentos distintos, as contradições de se ser mexicano, expondo paradoxos e sacudindo o lugar comum. Nos palcos são diluídos os medos, os fantasmas e os mitos de um continente em evolução. Neles, os dramaturgos puderam questionar suas raízes e tentar explicar as complexidades do presente, representando os tempos censurados e resultando em metamorfoses cênicas.

O amor e o desamor, a esperança na eternidade e o desfalque moral, a paradoxal repetição da história e as lacunas do tempo presente entram em tensão quando mundos distantes entre si se confrontam. Esses textos vem se apresentar como documentos contra a homofobia, a discriminação, a violência e o escárnio e revelam a liberdade e a diversidade sexual e de gênero na atual sociedade mexicana.

México

A realização do Programa de Leituras Públicas com textos mexicanos originou-se a partir do Acordo de Cooperação Acadêmica celebrado entre a USP e a UNAM. Com o intuito de trocar experiências cênicas e outras ações relacionadas à cultura, sobretudo universitária, entre os dois países o Teatro da USP apresentou em fevereiro de 2013 as Leituras Públicas do Teatro Brasileiro no XX Festival Nacional e Internacional de Teatro Universitário da UNAM, realizado na Cidade do México.

Em maio de 2014 textos mexicanos foram apresentados pela primeira vez no Brasil no ciclo de Leituras Públicas do Teatro Mexicano Contemporâneo. O programa fez parte da programação da XIII Sessão da Cátedra Ingmar Bergman em Cinema e Teatro da Universidade Nacional Autônoma do México – UNAM, em sua primeira sessão fora do México.

O ciclo especial de leituras da Diversidade no Teatro Mexicano Contemporâneo dá continuidade a essa troca de experiências, a partir de textos que propõem e documentam em cena as lutas contra a homofobia, violência e discriminação, em uma busca pela liberdade e diversidade sexual e de gênero.

Programação
  1. 01D.F. Bipolar, de Ximena Escalante (2013)
  2. 01El Reino de las Salamandras, de Conchi León (2011)
  3. 01La Ley del Ranchero, de Hugo Salcedo (2005) 

Mediação | Otacílio Alacran, agente cultural do TUSP.

Colaboração | Francisco Serpa Peres, orientador de arte dramática do TUSP.

William Santana Santos, bolsista aprender com cultura e extensão.

Sinopses 

D.F. Bipolar – Ximena Escalante, México, 2013. Esta é uma historia comum e cotidiana, já que, em um único segundo, qualquer um de nós pode virar uma esquina perigosa e descer a mundos inesperados. E não é o pior: o pior é que alguém certamente será testemunha, alguém tirará fotos e alguém terá algo a opinar nas redes sociais. “Porque nas ruas das cidades barulhentas, qualquer pessoa leva dentro de si um monstro na alma e os que têm insônia passeiam para se encontrar com algo parecido com a felicidade”.

El Reino de las Salamandras – Conchi León, México, 2011. Quatro atores se reúnem para fazer um teste para representar um personagem da novela “Salão de Beleza” de Mario Bellatin. Quando se encontram nos camarins descobrem que têm muito em comum em suas histórias de vida.  “El Reino de lãs Salamandras” é um documento contra a homofobia e a discriminação, escrito com base em uma série de relatos da comunidade gay e textos de García Lorca, Mario Bellatin, Pedro Almodóvar, Tennessee Williams e Jose Diaz Cervera. 

La Ley del Ranchero – Hugo Salcedo, México, 2005. Trata das relações amorosas e sexuais de três casais. A prostituição, a cobiça e um crime, ligados a paixões hetero, homo e bissexuais, são o ponto de partida para uma exploração profunda sobre a natureza humana. Hugo Salcedo traz um mundo duramente real, mas com grandes artifícios, tanto na trama como na construção de seus diálogos, além de mostrar uma capacidade de análise para além da representação direta da realidade. 

SERVIÇO:

Leituras Públicas | Ciclo Diversidade no Teatro Mexicano Contemporâneo

Quando| De 09 a 23 de janeiro de 2015 – Gratuito

Sextas-feiras, 17h.

Onde | Museu da Diversidade

Rua do Arouche, 24 – Metrô República.

Tel: 11. 2627-8078

Capacidade| 40 pessoas

Realização| Teatro da Universidade de São Paulo/Pró-Reitoria de Cultura e Extensão Universitária da USP e Museu da Diversidade/Assessoria de Cultura para Gêneros e Etnias/Secretaria da Cultura do Estado de SP

Apoio| USP Diversidade e Cátedra Ingmar Bergman/UNAM 

Teatro da Universidade de São Paulo – TUSP

Rua Maria Antônia, 294 – Consolação

Site: www.usp.br/tusp

Facebook: www.facebook.com/teatrodauspoficial

Twitter: www.twitter.com/tusp_online

Fone: 11 3123-5233

Deixe um comentário

*