Educação à distância no Brasil deve dobrar em cinco anos

O Instituto Monitor tem se destacado nesse mercado e estima para este ano um crescimento de 25% em seu faturamento. 
egundo o MEC, o ritmo de expansão de novos ingressantes foi de 12,2% na EaD, em 2013, enquanto na educação presencial o crescimento médio foi de 4,4% nos últimos anos.

Segundo o MEC, a expansão do EaD, em 2013, foi de 12,2% , enquanto a da educação presencial foi de 4,4%.

De acordo com estudo recente da Associação Brasileira de Educação a Distância (Abed), a perspectiva é de que o número de alunos desta modalidade de ensino dobre em cinco anos no Brasil. Aproveitando a maré favorável para esse nicho de mercado, o Instituto Monitor, escola pioneira em EAD no País, prossegue seus investimentos na expansão de seus negócios. 

Considerado referência quando se pensa em educação a distância, o Instituto Monitor pretende alçar voos maiores e mais ousados em 2015, apesar da crise econômica mundial que tem atingido diversos setores. “Para este ano, estimamos um crescimento em nosso faturamento de 25%. Além disso, pretendemos ampliar nossa atuação no mercado, aumentando o leque de cursos oferecidos em nossos polos, e, futuramente, agregar também cursos de graduação e pós-graduação”, declara Eduardo Alves, que é diretor de Relações com o Mercado do Instituto. 

Vale ressaltar que o governo federal tem contribuído para a popularização da educação à distância, por meio da Universidade Aberta do Brasil (UAB), que se trata de um sistema integrado por universidades públicas oferecendo cursos de nível superior, principalmente, para camadas da população que têm dificuldade de acesso à formação universitária. Esta ação tem dado prioridade à formação de professores que atuam na educação básica. 

Criado em 2005, pelo Ministério da Educação (MEC) em parceria com a ANDIFES e Empresas Estatais, o Sistema UAB tem como objetivo principal expandir e interiorizar a oferta de cursos e programas de educação superior no País. “Esta iniciativa tem contribuído para o Instituto Monitor e o processo de expansão da educação a distância por incentivar a criação de centros de formação permanentes, por meio dos polos de apoio presencial em localidades estratégicas, impactando diretamente em nossa política de negócios”, destaca Eduardo Alves, diretor de Relações com o Mercado do Instituto Monitor. 

EAD X Presencial

Segundo o MEC, o ritmo de expansão de novos ingressantes foi de 12,2% na EaD, em 2013, enquanto na educação presencial o crescimento médio foi de 4,4% nos últimos anos, sendo que em 2011 e 2012, o ensino a distância teve mais matrículas (12%) do que a educação presencial (3,1%).  Estima-se que até 2022 mais de um milhão de pessoas estejam matriculadas nesta modalidade de ensino, representando 16% do total de matrículas no mercado e um crescimento médio de 3,8% ao ano. 

Hoje, cerca de 200 instituições atuam no segmento, sendo que outras 100 já pediram autorização ao MEC para oferecer o serviço. “A educação à distância é uma tendência em todo o mundo, inclusive quando falamos das grandes universidades internacionais, que têm apostado nesse setor de maneira crescente e intensa. No Brasil, a modalidade ganhou força com a popularização da banda larga e com essa nova geração de jovens nascidos em um ambiente 100% digital, abrindo assim novas expectativas de mercado”, finaliza Alves.

SERVIÇO: 

Instituto Monitor

Site:  www.institutomonitor.com.br

Deixe um comentário

*