Doença no fígado pode se manifestar por sintomas comuns

Sensação de fadiga constante, semelhanças com a menopausa e coceiras pelo corpo, por exemplo, podem ser sintomas da Cirrose Biliar Primária.

Sensação de fadiga constante, semelhanças com a menopausa e coceiras pelo corpo, por exemplo, podem ser sintomas da CBP.

Sintomas como coceiras pelo corpo e sensação de fadiga ou, até mesmo, semelhantes à menopausa não costumam ser percebidos pelas pessoas como uma condição do fígado, mas podem estar relacionados a uma doença rara no órgão, a Cirrose Biliar Primaria (CBP), que é autoimune e sem causa conhecida. Segundo os especialistas do Zambon do Brasil, os sinais iniciais são inespecíficos, fato semelhante em outras doenças do fígado. As pacientes se queixam de fadiga e mal estar por muitos anos antes de descobrir que têm a doença, que pode ter consequências graves, caso não seja tratada a tempo.

 
“A patologia desperta menos atenção do que deveria e é mais frequente do que se considerava antes“, pontua o Dr. Raymundo Paraná, médico hepatologista e professor da Universidade Federal da Bahia (UFB). A Cirrose Biliar Primária costuma atingir mulheres depois dos 45 anos e, por isso, tem seus sintomas confundidos com os da menopausa.
 
A CBP afeta os ductos biliares, caminhos responsáveis por levar a bile do fígado até o intestino. A bile é um fluido corporal produzido na vesícula biliar e tem a função de digerir gorduras, evitar a decomposição de alguns alimentos e absorver substâncias nutritivas da dieta no intestino. “Quando os ductos biliares são agredidos, a bile formada no fígado tem dificuldade de passar e se acumula lá mesmo, agredindo o órgão. A pouca presença desse fluido no intestino dificulta a absorção das vitaminas A, D, E e K”, explica o  Dr. Paraná.
 
A consequência disso é que a paciente começa a acumular colesterol na pele, por conta da ausência da bile, o que gera as coceiras características da CBP. Em estágio avançado, podem aparecer sintomas de deficiência de vitaminas, colesterol alto e pele amarelada (Icterícia). “Quando estes sintomas aparecem, a doença já está muito avançada”, comenta o médico. Outro fator de risco para as portadoras de CBP, segundo ele, é a predisposição ao desenvolvimento da osteoporose.
 
Diagnóstico e tratamento
 
A Cirrose Biliar Primária é uma doença tratável. Diagnóstico e tratamento precoces podem evitar problemas sérios no fígado e, consequentemente, em todo o corpo. Já existem medicamentos que retardam o avanço e tratam a doença, além de regular o sistema imunológico, trazendo qualidade de vida ao paciente.
 
“A suspeita da doença costuma surgir após alterações em exames de sangue de rotina. Se os ductos biliares estão agredidos, há divergências nas enzimas no sangue, tais como a Fosfatase Alcalina e Gama GT. Diante da dúvida, a confirmação vem em um exame complementar simples, chamado ‘Anticorpo Anti-Mitocondria’”.
 
Mesmo assim, a CBP ainda não é diagnosticada em muitas pacientes. A orientação do especialista é que mulheres a partir dos 45 anos realizem os exames para avaliar a existência da doença, independente se existem, ou não, sintomas aparentes.
 
Não confunda: CBP não é Cirrose Hepática
 
A Cirrose Biliar Primária é, de fato, uma das diversas causas de Cirrose Hepática, mas os portadores da CBP nem sempre desenvolvem a outra doença. “Quando o quadro avança para a Cirrose Hepática, o fígado pode ter suas funções paralisadas, repercutindo gravemente em outros órgãos e sistemas”, conclui o especialista.

SERVIÇO:

Zambon do Brasil

Com mais de 200 colaboradores, a unidade brasileira do Zambon, localizada em São Paulo, é a quarta maior do grupo e referência para as demais subsidiárias. As três principais áreas de atuação do laboratório são: saúde feminina, dor e inflamação e respiratória. Em seu portfólio, o Zambon do Brasil possui uma linha de produtos com mais de 30 apresentações, entre eles medicamentos como Fluimucil (acetilcisteína), Monuril (fosfomicina trometamol) e Spidufen (ibuprofeno arginina). 

Deixe um comentário

*