Dia 8 de novembro tem lançamento do livro “Sócrates”, no Shopping Frei Caneca

Sócrates: a história do jogador mais original do futebol brasileiro, contada por Tom Cardoso.

Sócrates: a história do jogador mais original do futebol brasileiro, contada por Tom Cardoso.

Sócrates Brasileiro Sampaio de Souza Vieira de Oliveira. Ainda que a homenagem ao filósofo grego provoque certo estranhamento, o Brasileiro logo na sequência não deixa dúvidas: o primogênito de Raimundo Vieira, que carregava já no nome o traço da genialidade, foi também uma personalidade que fascinou todo o país com a camisa canarinho. O talento do meio-campista nos gramados lhe alçou à fama e lhe valeu o título de maior ídolo do Corinthians.

O jogador capitaneou, sob o comando de Telê Santana, a mítica Seleção de 82, e, mesmo perdendo a Copa do Mundo, extasiou plateias com seu futebol-arte e o célebre passe de calcanhar, sua marca registrada. Foi também médico, cantor, apresentador e comentarista esportivo. Envolveu-se com política e polêmicas. Sócrates foi um jogador improvável. Era alto, tinha 1,91 metros, fumava mais de maço por dia e não abria mão da cerveja com os amigos. O álcool, aliás, viria a ser um problema grave.  Levando uma vida de excessos, Sócrates manteve a coerência com a maneira como gostaria de ser lembrado: “Se tivesse me dedicado mais, não seria uma pessoa tão completa como sou agora.”​

Em Sócrates – biografia do jogador escrita pelo jornalista Tom Cardoso – o artista dos gramados é também lembrado pela marca que deixou fora dos campos. O futebol era pequeno demais para a grandeza de suas ideias, e ele se engajou intensamente na vida pública do país. Idealista e rebelde, desafiou autoridades e incomodou os cartolas. Teve uma participação ativa na campanha das Diretas Já. Formado em Medicina, foi, ao lado de nomes como Wladimir e Casagrande, um dos líderes da Democracia Corintiana, movimento com repercussões políticas, esportivas, sociais e culturais.

O mais velho dos seis filhos de seu Raimundo, um vendedor de rapadura da cidade cearense de Messejana, na periferia de Fortaleza, Sócrates cresceu sob o mantra do filósofo Immanuel Kant para quem “o homem não é nada além daquilo que a educação faz dele.” A premissa lhe valeu vida afora e explica, em grande parte, o engajamento para mexer com as estruturas do país.

A coerência, a postura contestadora, a transparência e as posições firmes igualmente conquistaram entusiastas e desafetos. Por falar em inimigos, entre eles figurava Ricardo Teixeira, o cartola que se perpetuou à frente da CBF e contra quem Sócrates combateu.

Equilibrando-se entre o futebol e a boemia, o jogador morreu aos 57 anos em dezembro de 2011, após a quarta internação em menos de cinco meses. Socialista convicto, partidário do PT, entusiasta da Cuba revolucionária de Fidel Castro, militante da redemocratização e craque incondicional, Sócrates se revela nessa biografia um personagem cativante que, esmiuçado por seu biógrafo, é alçado à dimensão de um grande brasileiro dentro e fora dos campos.

O autor

Tom Cardoso, nascido em 1972, é jornalista, com vasta passagem pela imprensa paulistana. Autor das biografias do empresário Paulo Machado de Carvalho, O Marechal da Vitória, e do jornalista Tarso de Castro, 75 KG de músculos e fúria, foi um dos vencedores do Prêmio Jabuti 2012 com o livro-reportagem O cofre do dr. Rui, que narra o assalto ao cofre de Adhemar de Barros, em 1969, comandado pela Var-Palmares.

SERVIÇO: 

Título: Sócrates – a história e as histórias do jogador mais original do futebol brasileiro

Autor: Tom Cardoso

Selo: Objetiva

Preço: R$ 29,90

Páginas: 264

Deixe um comentário

*