Deficientes intelectuais que trabalham têm maior capacidade de socialização

No Grande ABC, em São Paulo, empresa de ônibus emprega mais de 30 funcionários com diferentes graus de deficiência, em diversas áreas e cargos. 

uma chance de desenvolvimento social para os funcionários que apresentam algum tipo de deficiência intelectual.

Uma chance de desenvolvimento social para os funcionários que apresentam algum tipo de deficiência intelectual.

Mais que uma simples oportunidade de trabalho, o projeto “Ensina-me”, desenvolvido pela empresa de ônibus  Metra – Sistema Metropolitano de Transportes, instalada na região do Grande ABC, em São Paulo, é também uma chance de desenvolvimento social para os funcionários que apresentam algum tipo de deficiência intelectual. Hoje, de acordo com a área de Recursos Humanos da empresa, mais de 30 trabalhadores integram o projeto, em diversas funções e ocupando diferentes cargos dentro da Metra.

“O comprometimento e a responsabilidade com o trabalho são as principais qualidades entre eles”, conta Maria do Rosário, pedagoga contratada pela Metra e responsável pelo desenvolvimento deste projeto. Os homens são maioria neste grupo e, geralmente, essas pessoas começam a trabalhar na Metra na área de higienização. “Mas, quando percebemos algumas habilidades e aptidões para outras áreas, passamos a incentivá-las e a treiná-las para novos desafios”, diz a pedagoga.

É o caso, por exemplo, do funcionário Diego Dantas. Contratado em janeiro de 2012 para ajudar na higienização, ele logo começou a demonstrar interesse em mudar de área. Depois de um ano e meio, Dantas passou a integrar a equipe do projeto Qualidade de Vida, outro programa da Metra. “Ele ajuda os professores de educação física durante os treinos realizados com os funcionários que participam deste projeto e também dá assistência aos massagistas, durante as sessões de relaxamento”, conta a pedagoga.

“Gosto muito do que faço e estou muito feliz com essa oportunidade que a Metra me oferece. Quero continuar aprendendo para poder melhorar o que já sei fazer”, afirma Dantas. E para se aprimorar e colaborar ainda mais com o projeto Qualidade de Vida, ele fará um curso de “quick massage”, uma massagem realizada com técnicas orientais, bastante utilizada por empresas tanto no ambiente corporativo como também em eventos. A expectativa é de que ele comece o curso já no início do próximo ano.

“Este é seu primeiro emprego, sua primeira experiência no mundo do trabalho. Como é um menino especial, ainda guarda marcas da sensibilidade. Mas ele cresceu intelectualmente, ficou mais comunicativo e argumentativo, ampliou seu rol de amizades, aumentando sua vida social, entre outras coisas. Para o Diego esta é uma oportunidade muito significativa, pois ampliou sua visão e possibilidades. Além de sentir-se feliz pela confiança que lhe foi atribuída”, relata sua mãe, Marlucia Dantas Oliveira.

Progressos constantes

Outra funcionária que também tem se destacado dentro do projeto Ensina-me é Emmanuelle Munique da Silva. “Ela entrou na Metra em 2009, mas está efetivamente trabalhando conosco desde o início do ano passado”, informa Maria do Rosário. Por ter uma deficiência mais severa, Emmanuelle precisa fazer alguns tratamentos e por alguns períodos teve que se afastar de suas atividades para se cuidar. Mas, já há pouco mais de um ano ela tem trabalhado normalmente e mostrado ótimo rendimento.

“Tanto na execução de suas atividades como também no convívio com os outros colegas dentro da Metra, a Emmanuelle tem progredido consideravelmente. E como o Diego, além de constatarmos sua evolução aqui dentro da empresa, a família dela nos relata seu ótimo desenvolvimento fora da empresa. Ou seja, mais do que a possibilidade de trabalho, estamos conseguindo oferecer a essas pessoas a possibilidade de levar uma vida muito melhor”, conta a coordenadora do projeta Ensina-me.

“Desde que começou a trabalhar na Metra, tudo tem um sentido novo na sua vida. Ela está muito mais participativa, em todas as circunstâncias. A socialização tem sido um fator abençoado. Ela participa de tudo com todos e em todos os momentos. Somos gratos a Metra e a todas as pessoas com quem a Manu convive e aprende diariamente. E acreditamos que ela ainda nos surpreenderá muito mais, pois tem potencial”, diz com orgulho Maria Luiza da Silva, mãe de Emmanuelle.

Deixe um comentário

*