Bahia tem a primeira PPP de diagnóstico por imagem do Brasil

ressonancia

Parceria vai agilizar o diagnóstico por imagem de pacientes do SUS e garantir a eficiência dos resultados em todo o estado.

A Parceria Público Privada entre o Governo do Estado da Bahia e a Rede Brasileira de Diagnóstico (RDB) foi selada em um evento na noite desta quarta-feira, 30 de setembro, em Salvador. Com essa iniciativa os hospitais do Estado passam a ser atendidos por uma central de diagnóstico por imagem totalmente especializada, com equipamentos de ponta, que prometem otimizar o atendimento ao paciente do Sistema Único de Saúde. O Secretário da Saúde do Estado da Bahia, Fábio Vilas Boas, estava presente e anunciou um investimento superior a R$ 1 bilhão, ao longo da concessão, que deve durar 11 anos. “Serão 12 centros de imagem em todo o Estado da Bahia. A população vai ter a oferta ampliada de forma significativa para esses exames que são o verdadeiro gargalo em todo o Estado. Vai desafogar não só os hospitais, mas também os pacientes que não tem acesso a exames e dependem de esperar na fila ou frequentemente precisam se deslocar até a capital. Todos serão beneficiados”, destacou o secretário.

Já estão sendo instalados 42 novos aparelhos de ressonância magnética, tomógrafos, mamógrafos e equipamentos de raio x. Os centros passarão por reforma e expansão. Além disso, todos estarão conectados na rede de telecomunicação com a central de laudos. O processo para envio dos exames será por internet. O Hospital faz o exame, envia para a Central, e o laudo será feito por um especialista. O presidente da RDB, Fernando Pereira, destacou que essa Central vai trabalhar 24 horas por dia. “Vamos conseguir agilizar o processo. O paciente poderá ter o laudo do exame em até duas horas. Mas acima de tudo queremos qualificar. Profissionais totalmente especializados farão a análise dos exames. Queremos acelerar, mas principalmente melhorar, expandir e interligar”, afirmou o diretor.

A Bahia tem hoje 15 milhões de habitantes, destes, apenas três milhões possuem plano de saúde, o restante, 13 milhões, dependem do SUS para realização dos exames. Essas pessoas serão diretamente favorecidas, destacou o diretor médico da RDB, Gustavo Balthazar: “A Central vai permitir que haja uma rotatividade maior nos hospitais. O paciente terá o resultado do exame mais rápido e com isso vai deixar o leito em menos tempo. É como se novos quartos estivessem disponíveis, mas não, simplesmente a agilidade do nosso trabalho vai permitir o atendimento para mais pessoas”.

Tecnologia de ponta

A Rede Brasileira de Diagnóstico (RDB) é fruto da união de três instituições: a Alliar, considerada uma das maiores redes de medicina diagnóstica do país, a FIDI, fundação especializada na gestão de diagnósticos por imagens para hospitais públicos, e a Philips, empresa holandesa que se destaca por sua tecnologia para equipamentos voltados à saúde. Além de Salvador, hospitais de Ilhéus, Vitória da Conquista, Guanambi e Jequié serão contemplados com a parceria. Ao final de 11 anos, todo o investimento fica para o Governo do Estado da Bahia, que pode abrir nova licitação ou fazer a gestão do atendimento. Para o conselheiro da Fidi, Nitamar Abdala, uma união que tem tudo para dar certo, “tentaram criar outras PPPs nessa área, em diversas partes do Brasil, mas nunca deu certo. Agora um grupo especializado se formou, e com o entendimento de como trabalhar e associar o público com o privado”, o conselheiro aposta na qualidade do serviço para o sucesso da PPP.

Quando as três fases do projeto estiverem implantadas, o que deve ocorrer no início de 2016, a previsão é que sejam realizados, por ano, mais de 500 mil exames de diagnóstico por imagem para pacientes de todo o Estado. Para o Diretor do Distrito Sudeste da Philips, Ricardo Mendonça, essa PPP representa uma mudança de paradigma: “Muda a dinâmica do Brasil, de como o governo atende a população. É um investimento em profissionalizar o tratamento, permitindo que toda a população tenha acesso a melhor tecnologia”. O presidente da Alliar, Fernando Terni, ressaltou o comprometimento da parceria: “Seremos responsáveis pela renovação do parque tecnológico, reforma das unidades, contratação de médicos e gestão do serviço de exames de imagem desses hospitais, sempre contando com nossa experiência para desempenhar um trabalho extremamente qualificado”, afirmou.

O grupo mantém a máxima de que a qualidade e o aperfeiçoamento são essenciais para a entrega do serviço à população. Para isso 400 profissionais serão empregados, podendo chegar a 500. “Destes pelo menos 40 médicos em diversas especialidades da radiologia garantirão um atendimento de excelência para os milhões de usuários do SUS.” finalizou o presidente da RDB, Fernando Pereira.

Comments are closed.