ANVISA aprova novo tratamento para câncer de pulmão

Estudo demonstrou resultados positivos para diminuir o risco de progressão da doença em um grupo de pacientes.

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) anuncia a aprovação de uma nova opção de tratamento para câncer de pulmão de não pequenas células avançado com mutação ALK, que acomete, em sua maioria, mulheres jovens e não fumantes. O estudo ALEX, que baseou a aprovação, demonstrou que o uso de alectinibe reduziu em mais da metade, o risco de progressão da doença, em comparação com o tratamento padrão atual, estendendo o tempo médio de vida sem o agravamento do câncer de menos de um ano para mais de dois anos. Mostrou, ainda, redução de mais de 80% no risco de desenvolvimento de metástase cerebral. O perfil de segurança da molécula foi consistente com o já observado em estudos anteriores¹.

De acordo com o Instituto Nacional de Câncer, cerca de 85% dos pacientes diagnosticados com câncer de pulmão no país são do tipo não pequenas células, dentre estes cerca de 5% possuem alteração do gene ALK. O medicamento alectinibe, registrado no País com o nome comercial Alecensa®, é desenvolvido pela Roche Farma Brasil, líder mundial em biotecnologia. Para o diretor médico da companhia, Lenio Alvarenga, a medicação chega para atuar em uma área que necessitava de avanços terapêuticos: “Nosso objetivo é fornecer uma opção de tratamento eficaz para todos aqueles que precisam. O Alecensa trouxe aos pacientes resultados significativamente melhores quando comparados aos tratamentos existentes para este tipo de câncer de pulmão”.

Apesar de importantes avanços terapêuticos e campanhas de redução do risco da doença, como a antitabagismo, a taxa de mortalidade para o câncer de pulmão ainda é muito alta. Este é o tipo da doença que mais leva pessoas a óbito no mundo e, no Brasil, é considerada uma das principais causas de morte evitáveis².

Sobre Alecensa® (alectinibe)

Trata-se de um medicamento oral criado pela Chugai, centro de desenvolvimento do Grupo Roche no Japão, para o tratamento de pacientes com câncer de pulmão de não pequenas células (CPNPC) cujos tumores são identificados como positivos para alteração do gene ALK. Este tipo de câncer geralmente é constatado em pessoas mais jovens que apresentam um histórico de pouco ou nenhum tabagismo². Alectinibe está atualmente aprovado nos Estados Unidos, Europa, Kwait, Israel, Hong Kong, Canadá, Coreia do Sul, Suíça, Índia, Austrália, Singapura e Taiwan para o tratamento de CPNPC avançado (metastático) positivo para ALK, cuja doença se agravou após outro tratamento ou para aqueles que não puderam tolerar o tratamento com crizotinibe; e no Japão já está disponível para pessoas com CPNPC positivo para ALK.

O estudo global de fase III ALEX, que avaliou alectinibe, inclui um teste de acompanhamento desenvolvido pela Ventana, empresa focada em diagnósticos pertencente ao Grupo Roche.

Sobre a Roche em câncer de pulmão

O câncer de pulmão é uma importante área de foco e investimento da Roche e estamos comprometidos em desenvolver novas abordagens, medicamentos e testes que possam auxiliar as pessoas com esta doença fatal. Nosso objetivo é fornecer uma opção de tratamento eficaz para todas as pessoas diagnosticadas com câncer de pulmão. Atualmente, temos quatro medicamentos aprovados para tratar determinados tipos de tumores e mais de dez novas moléculas em desenvolvimento em nossa linha de pesquisa para atingir os impulsionadores genéticos – ou mutações – mais comuns no câncer de pulmão ou que estimulam o sistema imunológico a combater a doença.

Referências:

1. Shaw AT, et al. Alectinib versus crizotinib in treatment-naïve advanced ALK-positive non-small cell lung cancer (NSCLC): Primary results of the global phase III ALEX study. Presented at: ASCO Annual Meeting; 2017 Jun 2-6; Chicago, IL, USA. Abstract #LBA9008.

2. Instituto Nacional do Câncer – INCA. Acessado em 3 de janeiro de 2019. https://www.inca.gov.br/tipos-de-cancer/cancer-de-pulmao

#ANVISA #ALEX #Alecensa #RocheFarmaBrasil #GrupoRoche #Chugai #Alectinibe #Ventana #crizotinibe

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*